segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

É Natal, É Natal, tra-la-la-la-la!!!

Pois é! Hoje é dia de Natal!
Há muita gente que não gosta deste dia. Já aqui o Melões torna-se uma verdadeira criança e vive o Natal com a mesma excitação de quando tinha 3 anos!

Tenho que dizer que tive muita sorte com as prendinhas... não houve nada que não gostasse. Para ser uma noite perfeita era só ter comigo a cara metade, e o Natal seria perfeito pois ouviria os sininhos a tocar e os anjinhos a cantar...

Já a minha irmã, mulher feita, bonita e inteligente (embora às vezes não pareça, pois vai dar o nó dentre de uns meses) já não teve a mesma sorte. Se não fosse aqui o je e os papás, teria um Natal catastrófico, a começar pela prenda do Dom Rodrigo, que mais parece um comedor de alfarroba ou aveia, que de presente lhe deu... NADA!!!

Isto não é normal... não pode ser normal... como é que alguém que se vai casar dentro de um par de meses oferece NADA de prenda de Natal? OK, OK, a abécula deu uma desculpa - as despesas do casamento - e eu não mando nas finanças de ninguém... mas o Dom Rodrigo, para não chamar ovos moles, comprou para ele um novo iPod e que eu saiba, não está desempregado nem ganha nada parecido com o salário mínimo.

A minha maninha, sim, essa é uma gaija do Norte que engolui o sapo e lhe ofereceu um Tom-Tom com um sorriso na cara e lhe disse sem desfazer o sorriso: " Espero que usufruas da minha prenda tanto como eu vou usufruir da tua!, mas a minha melhor prenda vai para o Homem da minha vida - o meu Maninho!"

O gaijo já não gosta do Melões pois acha que perverte a irmã (só lhe digo: tu não lhe cozinhes ou prepares o lanche, não lhe laves a louça nem lhe passes a ferro - que o gaijo parece que nasceu no século XIX e está sempre a mandar vir porque a maninha trabalha muito e não lhe prepara as coisinhas), mas de certeza que ficou com um grande melão quando viu as 3 prendinhas que a Maninha deu ao Melões... um casaquinho, um Tom-Tom e um iPod.

Anda lá maninha, põe esse gaijo no sítio, que a mim, cheira-me, que quem tem tomates és tu!

A todos um bom Natal, que eu vou continuar a comer rabanadas. Um bem-haja!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

VODKA II

Nasdorovia, pickles e a falencia antes do Natal

Ontem foi dia de jantar de Natal. Nao do estamine, mas da equipa mais proxima do estamine. Direito a Secret Santa e tudo... e tambem a pagar a conta no final.

Como o frio parece teimar em chegar, e sem frio o Natal parece distante, resolvemos ir a um restaurante russo com alguns expertos na materia (incluindo a coleguinha russa que deixou a equipa e deixou o Meloes sozinho a dar luz a toda a Europa).

Tudo comeca com um primeiro shot de vodka... oh meu Deus, nao, este filme nao, outra vez nao, por favor... um shot de vodka, mas desta vez a maneira russa, i.e., nao e seguido de uma cerveja mas de um pickle... e o celebre Nasdarovia.

Tudo parace correr bem, mas os “nasdarovia” seguem-se... “nasdarovia” e pickles... e de comida.... nada – onde e que eu ja vi este filme.

E altura do naugthy secret santa, que ca com o meloes e um sucesso porque comprou para a sua coleguinha turca uma ovelha que caga rebucados... e um re-fill de caquinha de ovelha... E o sucesso da festa, todos querem comer caganitas da ovelha dado que a comida teima em chegar e as encomendas sucedem-se para compras de obelhas cagonas para os coleguinhas (oh CK a minha ovelhinha do presepio mete o teu glugluglu num bolso)...

Claro, a excitacao aumenta com os “regalitos” e aumenta tambem a frequencia dos “nasdarovia” e a quantidade de pickles ingeridos.

Tudo termina como seria de esperar, a coleguinha turca, recem mama, a devolver os pickles a casa; os outros coleguinhas, com gorro de natal na cabeca, a cantar cancoes de natal dos diferentes paises [sim, que temos na equipa um ingles, um irlandes, uma turca, uma grega, um holandes, um polaco, a ex-coleguinha russa, um venezuelano e como nao podia deixar de ser eu mesmo, o famoso e unico meloes, cidadao do mundo e de Portugal (vulgo Porto, carago)] para espanto e assombro dos outros clientes do finerrimo restaurante da city londrina.

Quanto a comida, nao me lembro. Lembro-me da conta e de nunca, NUNCA, em toda a minha vida pagar tanto por um jantar onde a comida rareou, a excepcao dos pickles. Um total de quatro digitos para 9 pessoas, o chefe a acertar com o pin a quarta vez (pior que o cheque passado 3 vezes), e a falencia generalizada antes de terminar de fazer as compras de Natal.

Hoje trabalho numa equipa de zombies!

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Os putos do irlandeses, o “fabuloso” IT, e um servidor holandes... e a Cilinha

Ainda hei-de perceber como e que este pais aqui ao lado nos passou a perna, e juntamente com “nuestros hermanos” e um dos que mais cresce na zona Euro.
Se calhar e por serem “listillos” e nao competentes.

Aqui o “je”, o meloes, assim baptizado pela sua amiga CK , que ja tem pouco de fazer depois da sua coleguinha russa o ter deixado so na equipa a dar luz a toda a Europa, tem que aguentar as merdas feitas pelos irish, novos clientes, desconhecidos e tudo o mais...

8.30h – o meloes chega pior que uma melancia ao estamine, depois de apanhar um temporal de chuva e vento, de ir sardinha em lata no “tube” e de nao ouvir nada no telefonema matinal a sua cara metade devido ao ruido que o senhor eolo fazia no “paraguas”...

8.35 – o meloes acende o computador
8.40 – nada
8.50 – nada
8.51 – o meloes discute com os amiguinhos e ve que todos tem os mesmos problemas e o IT diz – e o servidor holandes – nao ha nada a fazer
9.00 – o meloes faz login, mas off-line, i.e., nao pode usar mail, net, nao pode imprimir, ou aceder aos ficheiros...
9.15 – o meloes e a horta inteira ligam para o IT. Resposta: “-E o puto do servidor holandes, dentro de meia hora deve estar a funcionar”
9.16 – o meloes e as aboboras do estamine saem para tomar cafe
9.30 – o meloes regressa e tudo na mesma
9.40 – telefonema – o puto do irlandes
“PDI – queria saber se ja recebeste a resposta de risco para dar ao “XYZ”
Meloes – que pedido?
PDI – o que ele me mandou no dia 28. mandei-to
Meloes – espera que vou verificar
(como o puto do mail nao funcionava foi tudo verificado via papel, e nao havia nenhuma nota de pedido do cliente “XYZ”
-nao tenho nada
PDI – A nao? Espero que ja to volto a enviar. Depois ligo-te para saber.”
(...)
11.00 – login executado com sucesso. Funciona mail e internet, mas nada de drives nem de mail do irlandes, muito menos no dia 28.
11.05 – chega o mail do puto do irlandes. “Here you go meloes” e fwd um mail do “XYZ” do dia 28.11 com um pedido para ser respondido dia 05.12

Pois o meloes, bufa, sopra, levanta-se, da voltas a mesa, nao quer por a Irlanda as escuras por causa do puto do irlandes que manda o pedido horas antes da deadline e, qual pilatos, lava as maos muito claramente e triunfante como quem diz: esta batata nao e minha, e quem se f*de e o mexilhao;
O meloes tem entao uma hora para falar com as abeculas do risco, os energumenos do back-office e conseguir duas opinioes legais, uma bifa e outra irish, para naos por os gajos da ilha ao lado as escuras – se bem que o PDI bem o merecia – e depois por-lhe uns alfinetes na cadeira e pregos na mesa.

La poe o meloes toda a gente a mexer, sai para comer, chega e ve os comentarios da cilinha onde promete fazer geleia de melao por nao haver nenhuma referencia a sapatolica, que tem de meter a mao no cu do peru congelado, porque o meloes foge pra terrinha no seu recem estreado blogue.

Ai cilinha, bem te compreendo, isto de holandeses ta complicado, que este servidor nao me da resposta ha horas... o que passaras tu com um elvis la em casa!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

E agora ao que interessa

Sou um gaijo do norte! Do norte de Portugal, carago... e estou agora aqui especado num puto dum lounge em waterloo para ir ter com a minha alma gemea a Paris para um fim de semana como deve ser.
E muito chato, mas tenho uma reuniao por aquelas bandas na proxima segunda. Assim sendo, nada como marcar o fim de semana iberico, em que os ibericos vao invadir a cidade do amor (ainda que este epiteto me pareca muito desapropriado devois de viver no meio de tantos presuncosos).

Ontem resolvi dar um ar natalicio a minha casa, para partir com o dever feito de quem entra no mes de Dezembro. Assim quando chegue, tenho as luzinhas a piscar (ou a casa queimada).

Pois assim foi. Ate as 2h a fazer a arvore de Natal, descobrir que as luzinhas do ano passado iluminavam tanto como... nao vamos por ai, que cheira mal... como... enfim, como uma candeia sem azeite, ... sair para comprar luzinhas novas, tudo isto depois de visitar um apartamento com um gajo frances com mais "plumas" que os pavoes do palacio de cristal em epoca de acasalamento. E raisparta, que ainda por cima nao fiquei convencido com o apartamento - ainda menos com o franciu de meia tigela.

E como se nao bastasse, la vou eu para o meio deles, mas de certeza que a minha musica tocara mais alto, primeiro pela companhia e segundo pela forca, que eu sou um gaijo com meloes

E assim nasceu um blogue

Nao e que goste muito destes sentimentalismos, ou mesmo de viver o passado e recordar memeorias.
Mas hoje o Meloes nao pode esquecer 2 acontecimentos que marcam a sua vida.
- o aniversario do pai
- o dia internacional da luta contra a sida
Se o primeiro me deixa feliz, mais feliz me deixa o segundo, porque a cada dia que passa acredito que estamos cada vez mais proximos do fim...
Houve alturas em que sofria neste dia... eram demasiadas noticias negras, fatalistas, numeros tragicos e fotos sensacionalistas em todos os jornais da terrinha...
Talvez continuem as noticias sobre a peste, o fim do mundo, a calamidade, mas vejo as coisas de outra forma e nao e concerteza por pena que me vou deixar abalar.

Acho que sou forte para levar tareias e nao sao noticias deste genero que me vao deitar abaixo, nunca... sobrevivi a noticias piores, talvez mais pessoais e sinceramente a minha mensagem neste dia e desejar muitas felicidades para:
- o meu pai - porque e o seu aniversario
- a todos aqueles que convivem com o HIV - porque e possivel "seguir adelante" e de certeza que e muito mais dificil viver com uma gaija chata a moer o juizo todos os dias.

E a musica vai soando, instrumentos entrando e saindo de cena ate a apoteose final