sexta-feira, 13 de abril de 2007

Dilema resolvido antes de surgir

Sou uma pessoa com sorte.
Já por três vezes passei a barreira da morte e disseram que tinha os dias contados.
- A primeira vez quando nasci (e não recordo) – ainda tenho na minha cédula de nascimento a inscrição: “Nado Morto” à qual adicionaram com tinta de diferente cor “aparente”.
- A segunda aos doze anos, quando em simultâneo se me entupiu uma veia na perna, ganhei uma severa infecção nos pés devido a não ter circulação na perna e associada a uma paragem intestinal.
- A terceira é só minha e a única para a qual ainda não há explicação.

Estando eu internado em isolamento e dias contados, tive uma reacção surpreendente. Recebi uma visita de um amigo, depois de sair do isolamente e dele regressar da lua de mel (kind of) no Brasil. Este gajo, ateu e comunista convicto disse o seguinte: “- nestes momentos até me sinto tentado a acreditar em Deus!”

Ainda há uns dias, me disse algo parecido a Altinha Pintona, enquanto esperávamos embarcar no Porto: “-Tu és o maior milagre da minha vida”

Claro, pensas que realmente há alguma energia que olha por ti (chama-lhe Deus ou o que quiseres), e sem acreditares em destino, acreditas que estás aqui para alguma coisa.

No dia em que tive a confirmação de umas análises limpas, disse-me que faria tudo, mas tudo o que pudesse para ajudar quem fosse, como fosse ou onde fosse. No meio do meu mau feitio, sou tolerante e aceito tudo e todos e acho que tenho que fazer algo pelos outros que não conheço, e assim por mim.

Tudo isto, porque noutro dia me ligou o meu médico que me quer fazer um exame. Um exame delicado, doloroso, invasivo e não isento de riscos. Já o fiz uma vez, quando estava doente e disse que não o faria mais. Mas não posso dizer que não.

Escolherei uma data e tirarei uns dias de férias. Serão umas férias estranhas... passadas numa cama de um hospital... mas não é a primeira vez que digo que vou de férias para ocultar a verdade. Da primeira vez, curei-me a mim, se agora puder ajudar à cura de mais alguém...

Num dia de Janeiro resolvi o dilema que hoje se me apresentou pela voz do meu médico.

6 comentários:

chiqui disse...

Ola meloes,
vim aqui ter atraves do blog da ck, onde tu, alias, es CELEBRIDADE! As vezes venho ca espreitar, mas hoje perdoa-me a ousadia, nao resisto a comentar.
Pelo que descreves da para perceber que passastes por uma serie de coisas muito intensas, quase violentas. E que as superaste, pelo menos fisicamente.
Quanto as emocoes...sao bem mais dificeis de curar, cicatrizar.
Mas melao, ninguem sabe o que se vai passar com a sua vida, nem a pessoa mais saudavel do mundo.
Ou como dizia a Ti Conchinha, essa sabia perdida no Alentejo profundo,"a vida e assim mesmo, o que e que se ha-de fazer?"
1 beijo

Melões Melodia disse...

Chiqui,
Pois es muito benvinda!
Nao estou preocupado comigo, de todo. E se me permites, nao quero deixar cicatrizar as emocoes... nao porque goste de sofrer, longe disso. So para me lembrar de quem sou e nunca me tornar num narcisista egoista que so olha para o seu umbigo.
Aparece quando quiseres

Lady..Di disse...

My darling, sem acreditar em eu Deus, acho q todos nós temos um propósito na vida que nem nós sabemos. No entanto, o que eu sei é que és uma pessoa fantástica que admiro muito pela força e coragem (sem contar com as ironias e cusquices q gostamos de trocar) e seria uma perda para a humanidade se num dia de janeiro a vida não te tivesse presenteado, como o fez. Continua a ser como és e já estás a retribuir as tuas dádivas. Beijos enormes e saudades.

Melões Melodia disse...

Ola Lady Di!
Como e que vieste ca parar? tenho-me perguntado muito como andas que desde que foste para a capital nunca mais te vi.
Manda-me um mail para ficar com o teu mail.
Espero que estejas optima.
beijos

AEnima disse...

Espero que o exame nao doa muito e que dele resultem coisas milagrosas como tu!

Melões Melodia disse...

Aenima - Vamos la ver, em Agosto la o farei. Como ja sei como e, sei uns truques para faze-lo menos doloroso. De qualquer forma, vai ser um dia memoravel para mim.
Beijos