quarta-feira, 4 de julho de 2007

A Porta

Do lat. porta-, «id.»

s.f.
1. abertura em geral rectangular, feita numa parede ao nível do pavimento, para permitir a entrada ou saída; 2. peça que fecha essa abertura; 3. peça ou estrutura que permite o acesso ao interior de algo (carro, móvel, cofre, etc.); 4. entrada; acesso; 5. passagem estreita; desfiladeiro; garganta; 6. admissão; 7. solução; expediente;



A porta estava fechada.

Na pequena sala, entrava uma luz coada pela janela também fechada.

Apesar do ambiente sujo e bafiento, ele sentia-se bem naquela sala. Conhecia bem cada um dos seus cantos: o verde velho do sofá já coçado pelos anos e queimado pela luz; as marcas do caruncho na madeira do soalho; o cheiro bafiento dos velhos e carcomidos livros perdidos na estante húmida ao lado da porta; a sólida mesa de carvalho que vira passar a geração dos seus avós e a dos avós dos seus avós; conhecia até as manchas do bolor que apareciam e se multiplicavam no tecto, fruto de anos de porta e janelas fechadas.

Desde que ficara ali, só, estudara a sala ao milímetro e sempre se questionara sobre o que havia para lá daquela porta fechada.


Já muitos anos haviam passado desde que a cruzara pela última vez e não se lembrava do que havia para lá da porta fechada.

Ali, naquela sala, não estava triste, tão pouco estaria contente, estava abandonado ao conforto dos cobardes, ao desinteresse dos mediocres, ao bem estar dos ignorantes.

Um dia, sem saber porquê, levantou-se do sofá e pôs-se à frente da porta. Tentava escutar o que se passava do outro lado e adivinhar o que se passaria nesse outro lado esquecido, mas como vivia há muito tempo fechado naquela sala, os uivos do vento pareciam-lhe fantasmas. Cada som era uma ameaça porque não sabia o que era realmente.

Enquanto o medo o fazia encolher encostado àquela porta, a curiosidade invadia-o.

Com o passar do tempo viu a sala tornar-se pequena e o que era até então a sua fortaleza, a muralha que o defendia dos fantasmas que habitavam para lá da porta, passou a ser o seu cárcere, e a porta fechada o seu carcereiro.

Então, com um inexplicável impulso, abre a porta e sai!

16 comentários:

Diabba disse...

E o que viste?

beijo d'enxofre

Melões Melodia disse...

Diabba - isso sera revelado mais adiante
beijos

Rubrica Brasil disse...

Maravilha de texto!
Um arrepio diante do desconhecido.
Aguardaremos o abrir a porta.

Melões Melodia disse...

Rubrica Brasil - Obrigado. A porta esta aberta... agora esta-se a digerir o que ha do outro lado

calamity jane disse...

E eis senão quando, surge o Melões, rebaptizado Sir Alfred Melon Hitchock...
Fizeste-me lembrar um episódio, não televisivo, mas vivido, já lá vão uns anitos, 11 se a memória não me falha

Melões Melodia disse...

calamity - agora deixaste-me curioso. A ver vamos se o que ha para la da porta e identico.
beijos

Actriz Principal disse...

Olha lá, isso da porta aberta tem a ver com a data para não-sei-o-quê (mas que me irás informar) do post anterior?

zetrolha disse...

E pronto,lá foi ele à vidinha dele!

Melões Melodia disse...

Actriz - nao, nao tem nada a ver.
Informar-te-ei pessoalmente e em due course.
Beijos

Zetrolha - bem aparecido. Pois foi a vidinha dele e muito bem
Abraco

Teresa disse...

I'm back!

Já aqui tinha vindo ontem à noite, mas não comentei - andei só a matar saudades.

Porque será que este texto me trouxe imediatamente à memória uns certos versos daquele Álvaro de Campos da minha eterna obsessão?...

Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta...

Mais logo volto para me pôr a par das novidades.

Um grande beijo.

Melões Melodia disse...

Teresa,
Ainda bem que voltaste. Tambem espero pelas tuas novidades.
beijos

AEnima disse...

ja vi que era a porta da rua do emprego. Ainda fiquei com esperancas que fosse a do armario.

Beijinhos, fofo.

Melões Melodia disse...

Aenima - Pois nao e a do emprego - o que sera sera
Beijos

Pitucha disse...

Pelo menos tomou uma decisão e executou-a.
Ficamos à espera dos resultados.
Beijos

Melões Melodia disse...

Pitucha - sim tambem espero por eles, mas vale a pena decidir, nem que seja para aprender que esse caminho estava errado.
beijos

Anónimo disse...


Добрый день. Я ищу работу няней. Мне 21 год. Опыт работы с грудничками и малышами до 4х лет. Очень ответственная, все-таки, понимаю, что значит маленький ребенок.

Воспитанная, аккуратная, чистоплотная.

Могу сидеть с двумя малышами.

Живу в Спб у метро Комендантский проспект.

Пишите на майл, указанный в профиле.

Или стучитесь в аську 280134742.

Лия.

Мораль: не в возрасте дело, а в опыте.
[url=http://mp3lists.ru/][color=#E4F4FE] [/color][/url]