terça-feira, 17 de julho de 2007

Portugal

Não sou dado a nacionalismos ou patriotismos. No fundo sou Europeu. Mas também sou Ibérico, Português e Tripeiro.

Qualquer Português tem o direito de dizer que Portugal deveria ser Espanha, apesar de me magoar. E logo eu que gosto de e vivi em Espanha.

Afinal, Espanha parece ter maior sucesso no seu desenvolvimento económico (até um dia), que na minha opinião não é sinal de maior vontade política ou menor corrupção. Senão é ler os jornais Espanhóis todos os dias e ver como os problemas deles são exactamente os mesmos que o meu Portugal enfrenta.

Sinceramente, Portugal em Espanha seria mais uma Extremadura ou Andalucia ou Rioja ou mesmo Galicia, não seria uma Castilla La Mancha, Catalunia ou Comunidade de Madrid. Seria uma região pobre, e ainda mais profunda de uma Espanha que cresce e por isso seria uma região ainda mais esquecida.

O que nos falta é dimensão Sr. Saramago, dimensão e uma atitude mais positiva e alegre face ao futuro.

Portugal, como está, está bem melhor.

Se um amigo está doente, não o abandono nem deixo de gostar dele. Não o entrego à solução mais fácil mas tento curá-lo.
Este é o meu Portugal, doente e triste.
Não está doente pelos governos que se têm sucedido. Está doente no seu âmago, porque cada uma das suas células decidiu deixar de lutar, e agora há quem pense que, afinal, o melhor é deixá-lo morrer. É um corpo sem defesas. Parece que o queremos deixar ao abandono de um “Ensaio sobre a Cegueira”.

E tu, quantas vezes te queixaste da situação do nosso Portugal no último mês?
E tu, o que fizeste para melhorar a saúde do nosso Portugal e para fazê-lo sorrir de novo?
E tu, quantas vezes olhaste as leis dos nossos governos de uma forma isenta e também conseguiste ver as coisas boas?
E tu que também és Portugal, quando é que deixaste de acreditar nele e por isso de agir e de o defender?

Ainda que em Agonia, eu quero o meu Portugal.

15 comentários:

Anónimo disse...

Lindo x Susana

geocrusoe disse...

Sempre tive o dilema de amar dois países, o natal e o de sangue, penso que nenhum venceu em mim, mas optei pelo sangue e aqui estou em Portugal. Dói-me sempre que alguém de peso e de projecção mundial em vez de aproveitar os seus "galões" para puxar por Portugal e pelos portugueses, opta para o diminuir e humilhar... mas mesmo assim não desisto e espero que muitos outros façam o mesmo. 800 anos não podem ser sempre coisas boas mas mostram capacidade de sobrevivência

Diabba disse...

Não tenho vergonha de Portugal, tenho vergonha dos trastes que lá colocamos para o governar!

Nunca me queixei de Portugal (país magnifico para viver, magnifico clime, belas paisagens e localidades) queixo-me é das pessoas! Mas olha, já tinha ouvido falar dessa ideia luminosa do Saramago... percebes pq é que tenho vergonha, de algumas pessoas serem portuguesas??

Na teoria da reencarnação... devemos estar a pagar pela glória de outrora, agora calha-nos o refugo! grunfff

beijos d'enxofre

Ck in UK disse...

LOL
tens q conferenciar com a minha mae sobre este assunto....ela ta contigo.

Melões Melodia disse...

Geocrusoe - bem vindo. Concordo totalmente contigo. Acho que a maioria das pessoas que dizem isto, dizem-no para desabafar, neste queixume constante que nos caracteriza, custa-me no entanto e que alguem que tenha alguma voz tambem o faca.
Abraco

Diabba - eu nem sequer tenho vergonha dos politicos, tenho vergonha daqueles que sao preguicosos, que fazem pausas para o cafe de 1h, que passam o tempo de trabalho a falar com os colegas, que trabalham para as horas extraordinarias e para parecer bem aos chefes, que fazem uns biscates por baixo do pano, que metem os subsidios ao bolso, que se fazem aos subsidios e ajudas de custo, que nao trabalham porque nao querem, que nao fazem o que querem e fazem o pais andar para a frente porque recebem mais no sector privado.
Estou farto dos que nao vao votar, que se exprimem contra a classe politica na mesa do cafe, mas nao votam, nao querem saber.
Estou farto dos que espalham o pessimismo, do sensacionalismo barato dos media, e da lei do bota a baixo.
isto e, estarei farto dos Portugueses?
beijos

CK - porque, tu nao estas?
beijos

Melões Melodia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pitucha disse...

E quem fala (escreve) assim não é gago!
Bem dito.
Beijos

Melões Melodia disse...

Pitucha - Obrigado.
beijos

AEnima disse...

Meloes,

Ha uns tempos, zangada com algumas politicas do meu governo, maldisse Portugal. Fui muito mal entendida e chamaram-me de anti-patriota e coisas piores. A verdade e' que gosto muito do meu cantinho, tenho muito orgulho no meu sangue com 12 seculos de historia e e' analisando os problemas do meu povo, estudando as suas falhas, criticando os seus defeitos, que podemos avancar para encontrar solucoes e desenvolver um futuro mais digno.

Confundem muitas vezes critica com anti-patriotismo. O que, no meu entender, e' uma visao muito limitadora das coisas.

Ainda nao li o Ensaio sobre a Cegueira. Admito que Saramago nao e' dos meus escritores de eleicao, por muitas honras que lhe preste pela divulgacao da nossa lingua e cultura que o Nobel dele nos permitiu.

Melões Melodia disse...

Aenima - Recordo-me bem dessa discussao e compreendi-te na altura. mas para mim, o grande problema de portugal sao os portugueses que mais parecem avestruzes com a cabeca enterrada na areia.
Quanto ao Sr. Saramago, gosto dos seus livros, e bastante do ensaio sobre a cegueira. O unico problema e que neste romance com a maleita, em vez de se lidar com ela, aparta-se e condena-se a morte em que cada um tenta sobreviver como pode.
e isto e o nosso portugal dos dias de hoje.
E por gostar tanto o meu pais e que critico e aponto o dedo aos que nao fazem nada por ele.
Beijos

Teresa disse...

Apesar de ser uma patriota de gema, como boa portuguesa que sou... adoro dizer mal de Portugal. Mas ai do estrangeiro que se atrever a insinuar sequer qualquer coisa menos favorável sobre o país, que salto como uma leoa.

E estou com a Diabba, os governantes são a nossa desgraça. Não é de agora, é de sempre. Lê o Eça - Os Maias e O Conde de Abranhos, por exemplo. É extraordinário verificar que, passados cerca de 140 anos... nada mudou. Com a vantagem de ele nos fazer rir, enquanto os políticos em cujas mãos estamos só nos darem vontade de chorar.

Beijo grande.

chiqui disse...

Concordo muito com o que escreves neste post.
Mas eu, que amo ainda mais o meu pais depois de me ter ido embora, tive uma necessidade inexplicavel de o deixar para tras.

"Se um amigo esta doente, nao o abandono(...)"

Eu quero pensar que nao o abandonei, mas a verdade e que nao consigo lutar por ele, pelo menos por agora. O "tugismo agudo", do ze espertalhao, esta imparavel.

Por isso, por mais triste que me sinta ao dizer isto, Portugal e o melhor pais do mundo... mas eu nao quero la viver.

bjos grandes

Melões Melodia disse...

Teresa - continuo a achar que os politicos que temos sao fruto daquilo que somos como portugueses. A grande maioria de nos pensa pequenino e a curto prazo - e' o que e' que vou fazer hoje ao jantar e nao onde e' que eu quero estar daqui a dez anos. Mas depois quando passam os dez anos vemos que nao estamos onde gostariamos de estar.
Beijos

Chiqui - quando falo de abandono nao falo em sair do pais, mas vota-lo ao abandono. Tambem estou fora do pais e nem por isso sinto que o abandonei.
Beijos

Cara D'Anjo Mau disse...

Viva a pátria.

Melões Melodia disse...

Cara d-anjo mau - Viva!