sábado, 25 de agosto de 2007

Emoções

Devia ter dois corações, ou três, ou quatro…
...para poder lidar com todas as emoções que me assaltam quando menos espero.

Basta uma palavra, um olhar atento, uma leitura e o meu coração torna-se tão pequeno que de tão cheio o sinto vazio.

Acordei bem disposto, finalmente está Sol e calor. Falei com quem amo.

Passei a manhã a passear no parque e a dar amendoins aos esquilos, enquanto disfrutava dos raros raios de Sol.

Lembrei-me de vir aqui e li vidas de outras gentes que não conheço, com as quais a minha relação não passa de um esporádico comentário aqui e ali.

E de repente, no meio de nada, vejo uma mãe que sofre, um filho que sofre…

E lembro-me que nós, filhos, somos autistas, porque no sofrimento daquela mãe, vejo o sofrimento de muitas mães, vejo o sofrimento da minha mãe… porque negamos a mão que nos estendem, o carinho que nos dão…

O filho náufrago deixa de saber onde está o seu Porto de Abrigo, não vê a luz do farol que indica os perigos, não ouve a sirene nos intensos nevoeiros da vida, porque navega à deriva, e nada mais vê do que a vaga que se levanta diante de si…

O meu coração fica tolhido e os olhos perdidos fixam o monitor sem ver…

Amiga, as tempestades passam, podem tardar mas temos que acreditar que passam… Tu és o farol, o Porto de Abrigo, …
Só tens que continuar a iluminar e a indicar o caminho, até que um dia, em que haja uma acalmia e as vagas diminuam, e o nevoeiro se dissipe numa ligeira bruma, a tua luz vai continuar a indicar o caminho.

Por agora, com o coração pequenino, olho pela janela e vejo o Sol depois deste longo Inverno que foi Agosto e não posso deixar de sorrir.

15 comentários:

Anónimo disse...

A negação de que falas é o segundo corte do cordão que nos une aos nossos pais,alguns nunca o fazem ,são os que vivem para eles, até ao fim, conheço alguns e apesar de tudo são felizes.Essa separação é sempre mais dolorosa para a mãe,pois que o filho entra no mundo da ilusão,sim é tudo uma ilusão os nossos amores,o nosso crescimento profissional,conforme o tempo passa vamo-nos apercebendo que a única coisa verdadeira e para sempre, é o amor da nossa mãe,eu já não tenho,mas é triste dizer,mas, só cresci depois da sua morte,era filha única,e a protecção afogava-me,nunca me dei muito bem, devido a isso,o amor era tanto que era como viver prisioneira,também sou mãe,mas mais moderada e acho que os meus filhos vivem felizes apesar de dizerem que sou uma melga.Crescer custa,mas todos queremos partir para a nossa própria vida, seja ela boa ou má,e tu estas a caminho,tem cuidado,agora és tu a decidir,e obrigada por escreveres neste blog,com tanta sinceridade,simplicidade, naturalidade e claro com o sentimento dos teus trinta anos.Vou deitar amanhã é o dia do reencontro,estou em pulgas,lá vou eu até ao PORTO.............8 horas hora da partida eu a cara metade e o meu father.By até sempre

Anónimo disse...

É claro que foi a FIFI que escreveu esse testamento

amigona avó e a neta princesa disse...

Fico assim sem saber o que dizer...mas apetece-me olhar para este Sol de que falas e ficar a ler as tuas palavras...é verdade que estamos longe um do outro e que não nos conhecemos...mas não sei não...a verdade é que só consigo deixar-te um abraço de emoção e agradecer-te do mais fundo da minha alma...beijo...

Diabba disse...

Ahhhh agora sou um farol??

Espero bem que sim, e que a luz se me não apague quando a diabba-mirim precisar de ver o caminho!

beijos d'enxofre

Sophiamar disse...

Cheguei aqui através de uma amiga grande, a amigona. Não a conheço pessoalmente mas é como se a conhecesse. E sem que o saiba, ou tavez sim, foi farol na minha vida , é sol na minha alma.É sol na alma e coração de muitos de nós.
Voltarei aqui para comentar o teu post.O que acabei de escrever não passou de um desabafo.
Deixo-te mil beijos

Melões Melodia disse...

FIFI - espero que aproveites bem o fim de semana no meu meloal.
Quanto ao teu comentario, concordo com tudo, mas nao era exactamente sobre isso que queria falar... Falava de uma mae que ve um filho a perder-se e nao sabe o que fazer.
Beijos

Melões Melodia disse...

FIFI 2 - Porque e que nao crias pelo menos um profile no blogue? Assim ja nao tens que te preocupares com a assinatura - ahhh e ja sabia que eras tu.
Beijos

Melões Melodia disse...

Amigona - eu so quero ver as pessoas felizes, mais nada. Nao sei avaliar a dor - ja escrevi no passado um post sobre a dor e acho que nunca ha dor igual - mas isso e ser mae ou pai, certo? Um compromisso em deixar uma vida calma em que se preocupam connosco, para que passemos a preocupar-nos cada minuto ate ao fim. E um dos actos mais altruistas que vejo a minha frente, nunca deveria ser recompensado com dor. Mas mais uma vez, quero que acredites que tudo e possivel.
Um beijo

Diabba - anfas a mudar muitas vezes de visual!
Claro que sim, e muita sorte para a tua diabbita.
Beijos

Sophiamar - Benvinda! Ca aguardo a tua visita.
Beijos

Ck in UK disse...

mm, de quem se trata?

amigona avó e a neta princesa disse...

Mais uma vez aqui estou para te dizer que as tuas palavras calaram fundo em mim...acredita que conseguiste que o sol brilhasse um pouco no meu dia tão enovoado...mais uma vez quero a agradecer-te a tua ternura e as palavras bonitas...depois quero também dizer-te que tenho outro filho que está perto de Londres...ao ler-te também fico um pouquinho mais perto dele...beijo amigo e que a tua semana seja feliz...

chiqui disse...

Este teu post, como a maioria deles, parece ter o condao de despertar emocoes fortes em mim. No meu coracao de filha que as vezes sente a culpa de estar tao longe da sua mae; do medo que sinto de nao lhe saber mostrar o quanto a amo; de como as vezes fico triste por estarmos tao distantes fisicamente. E saber, que as vezes, muitas vezes sofremos as duas com isso.
Mas ela e sempre o meu porto de abrigo

arara disse...

Vou a meio caminho de ser uma mãe-farol, suponho...
Saudades de te ler. Beijinhos e semana feliz



125azul

Melões Melodia disse...

Cilinha - e facil, podes la chegar pelos comentarios.

Amigona - fico muito feliz por te poder dar um pouco de calma e mais ainda se te pudesse ver sorrir. Este mundo blogosferico impede-me de ve-lo, mas espero que o tenhas neste momento.
Beijos

Chiqui - isso e o que interessa. Sabes que esta ali para ti e ela sabe-o tambem. Agora, culpa por estares longe? Nao entendo por que. Con certeza fizeste uma mae babada e orgulhosa com os teus sucessos e o que quer e que estejas bem... onde quer que estejas.
Beijos

Arara - finalmente de volta, estava a ver que nao...
Pois sim senhora, mae-farol, boa sorte.
Beijos

Anónimo disse...

.Não sei o que hei-de dizer a essa mãe,só que tenha muita fé e acredite que o amanhã será melhor.Um abraço de conforto da Fifi

Melões Melodia disse...

FIFI - Ha que acreditar sempre. Que tal o fim de semana no Porto?
Beijos