quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Os três pilares


Portugal escandaliza-se com os aumentos dos acessores da câmara de Lisboa, dos políticos, dos médicos do serviço público…
Podem bater-me, insultar-me, o que bem entenderem.
Neste nosso Portugalinho, já há muito que hipotecámos o futuro, e agora vêem-se os resultados, porque não apostámos em três classes que cairam em descrédito apesar das funções vitais que assumem na sociedade em que vivemos e em qualquer sociedade, qualquer que seja o regime político.

O que eu quero dizer é que enquanto os salários dos políticos, professores e profissionais da saúde (função pública) forem a miséria que são, sim, digo miséria, não teremos pessoas capazes de dirigir, educar e cuidar este país.

Quem quer ser político nos dias de hoje? Talvez alguns jovens idealistas, mas estas utopias morrem com a idade, e quando se pesam os prós e os contras, quem em perfeita consciência quer ocupar um lugar em que se está na mira de todos, numa classe desrespeitada e a receber muito menos do que em qualquer instituição privada? Só quem tem ganância de poder e uma inteligência razoável para enganar meia dúzia de tolos.
Haverá um ou outro que o faz por convicção, mas acredito que estes casos são raros. Os verdadeiros dirigentes, os que sabem governar, ou estão fora do país, ou dirigem empresas de sucesso, com sucesso e ganhando no mínimo dez vezes mais.

Quem que ser professor nos dias de hoje? A classe está desmotivada, é desrespeitada, anos de regalias e manifestações e greves por dá cá aquela palha levaram ao descrédito da classe. Uma vez mais os salários são uma miséria e não há sequer segurança do posto de trabalho. Pior se passa nas Universidades em que os catedráticos se colam às suas cátedras não dando espaço às reformas necessárias, também estes, na sua maioria reduzidos a professores mediocres porque se fossem bons, estariam no sector privado a ganhar bem mais e a não prejudicar os que relamente gostam de ensinar. Ao valorar realmente esta classe, teríamos pessoas com valor para fazer as mudanças necessárias, a criar uma sociedade que evolui, com conhecimente e produtividade. Uma sociedade actualizada, que produziria mais, aumentando o rendimento do país e a qualidade do ensino, entrando num ciclo virtuoso. Em relação a todos os outros professores, anos de negligência no ensino superior, fraca remuneração e inexistente actualização, levaram a um défice de conhecimente e a uma desmotivação sem precedentes. Quem sofre é o país e os novos e os futuros professores, que não têm colocação porque o país está de rastos principalmente porque descurou esta peça fundamental. Uma vez mais, fora meia dúzia de sonhadores, os que podiam mudar tudo isto fogem do país a sete pés porque o Ensino está desacreditado e mal pago.

Quem que exercer na saúde pública? Uma vez mais, a luta dos poderes é constante e os salários miseráveis. Quem pode, abre o seu consultório onde cobra cem vezes mais, deixando para os hospitais públicos os inexperientes, os maus, e os que, mais uma vez, gostam do poleiro, hipotecando assim a saúde do nosso país.

E tudo porque se dá pouco ou nenhum valor a estas três funções que são o pilar de uma economia saudável.
Por não o reconhecermos, vivemos num país sem educação, sem saúde e sem rumo.

19 comentários:

AEnima disse...

Miudo... andaste a conversar comigo??? Olha que isso faz-te mal.

Eu sempre fui a favor de uma classe politica bem paga. Em tudo na vida a competicao e' muita, quanto mais alto o premio, de maior gabarito a competicao. Ora, em Portugal, so se faz politica em part-time, porque ninguem quer viver so com esse salario. Todos os deputados sao professores na faculdade (o que faz deles maus nas duas coisas porque o tempo nao da para tudo), todos os da administracao local tem um emprego de "dia", que paga as contas e a politica 'a noite.

Tenho para mim que so vai para a politica quem nao e' suficientemente bom para conseguir tudo o que quer sem politica. So sao politicos os maus gestores e engenheiros, porque se fossem bons, estavam a ganhar 10 mil euros por mes na Sonae. Da mesma maneira, so vao para politicos os que ja tem alguma tendencia para a corrupcao... A politica faz o mesmo papel que a associacao de Alumni de uma faculdade faz - jobs for the boys. Quem e' mesmo bom, nao precisa de cunhas para conseguir o que quer... quem nao e', encontra na politica um hobby vantajoso.

Enquanto continuarmos a ter falhados como politicos, nunca vamos avancar.

Tambem sou a favor de medicos e professores bem pagos. Mas neste momento nem digo que tal para Portugal. Em Portugal, um professor e um medico ganha acima da media. Todos os medicos sao ricos com as suas praticas privadas. Eu advogo e' o aumento do numero de vagas nas universidades para formar medicos. A ordem e' uma corporacao que diminuiu o acesso 'a profissao para que o rendimento dos ja profissionais se mantenha. Enquanto Portugal continuar um estado corporativista que da poderes a instituicoes como a ordem dos medicos (e outras) o mercado nao se pode ajustar livremente. O que temos hoje em dia? Medicos que sao bons estudantes, e nem por isso bons medicos. Nem todas as pessoas brilhantes com paixao por medicina abdicam da sua vida desde os 14/15 anos para estudar e tirar medias de 19, com vista a um futuro.

Quanto aos professores, creio que o problema mais grave com eles em Portugal sao os sindicatos. Os sindicatos, muitas vezes, em vez de ajudarem uma classe, so os prejudica... isto esta claro no mercado do ensino portugues. Eu sou a favor de salarios mais altos SE e SO SE liberalizarem o mercado. Mas os professores (como todos os assalariados portugueses) preferem andar nessas lutas constantes, do que primarem pela sua competencia e trabalharem sob um futuro mais incerto mas com melhores rendimentos (monetarios e pessoais) para todos.

Diabba disse...

Os portugueses ainda estão convencidos (na grande maioria) que ser funcionário público é que é bom!
Há a certeza que não podem ser despedidos (e não podem, sabiam desta? um dia conto como é que acontece quando um funcionario publico tem que ser posto na rua... uma trabalheira) e o salário é sempre certinho!
Aqui há tempos contei à Aenima que, as minhas Colegas de curso achavam uma coisa tão maravilhosa que nem contavam a ninguém que havia concursos para colocação de funcionarios públicos... hoje, tenho a certeza que vivo melhor que elas, tenho pelo menos uma qualidade de vida bastante melhor! Sim, as minhas duas "amigas" de curso, são funcionárias públicas, nunca mais as vi e, nem chegaram a acabar o curso!
Acho que me perdi um bocadinho... sorry!
Todavia sempre fui de opinião que os politicos deviam ganhar muitissimo bem, só assim seriam menos permeáveis à corrupção... e não compraríamos submarinos que não usamos nem aviões "caças" sem estarem armados e usadissimos!
Desviei-me um bocado da coisa não?
Isto hoje não está bem, o rato não funciona e eu não sei mexer muito bem nesta coisa do rato incorporado no portátil... sim sou uma abécula com maquinetas... que Inferno!! grrrrr

beijos d'enxofre

Mocho Falante disse...

este país anda de facto às avessas, parece que estamos a correr num carrocel que rodopia para o lado oposto

abraços

amigona avó e a neta princesa disse...

Pois meu querido concordocontigo, ao contrário do quepossas pensar! Sou um pouco mais confiante porque acredito que há pessoas honestas mesmo na política...já não concordo com o que acima foi dito pela aenima...nada!

Umbeijo para ti...

Anónimo disse...

O Melão é lixado anda não sei quantos dias a pensar o que vai escrever,este tema para mim é um pouco complicado apesar de ter estudado economia políca disciplina que ódiava,mas,lá vai:
Nasci uns anos a seguir â segunda guerra mundia,os tempos eram dificeis,as crianças eram educadas a poupar e criar a sua própria riqueza, desde muito novas,HOJE são criadas pelos pais como uns principes e o choque é enorme quando tiram os seus cursos,e são atirados para um mundo real que para eles é desconhecido,Deviam conhecer a lei da oferta e da procura,e assim estudarem para lugares onde a procura seria maior,e assim não haveria tanto desemprego,e tantos jovens loucos por não encontrarem o seu lugar na sociedade,porque não, estudarem para serem uns bons politicos sem estarem sempre a pensar no dinheiro,pois nós os mais velhos estamos fartos de ver sempre as mesmas caras,às vezes penso como é que um raio de um país tem que ser governado com pessoas por vezes com idades da reforma devia de ser proíbido,mas,são vocês jovens que estão cá e ai que têm que salvar este país mas não pensem em dinheiro,mas, sim em fazer deste lindo cantinho à beira mar plantado um grande país,Vamos lá criar riqueza e sabedoria ai, para aplicarem aqui e vão ver como se vão sentir felizes e orgulhoso,poque isto cá é um paraíso apesar de tudo.Vou dormir que esta treta até me tirou o sono e amanhã tenho um dia dificil,beijinhos da FIFI que tinha muito mais para dizer,è verdade o dinheiro não dá felicidade,ser feliz é ir á luta e vencer.e vocês têm que ser uns vencedores como eu e outros já foram.

Melões Melodia disse...

Aenima - nao me faz mal absolutamente nenhum falar contigo. concordo quando te difo que o sistema esta corrompido e que ser politico e segunda profissao.

Quanto a solucao para a saude, vejo o problema de forma diferente - ao aumentar o numero de medicos, ha aumento de oferta de servicos de saude e consequentemente queda dos precos do sector privado, que pode tornar o sector publico mais atractivo. No entanto, ha certos desequilibrios que nao serao corrigidos pelo aumento do numero de medicos. Estes continuaram nos centros urbanos e litoral, continuando com o pobre servico a metade da populacao. Contudo concordo que o acesso ao ensino esta mal. Para mim, quem tem melhores notas num ensino como o nosso, nao e nem de longe nem de perto o melhor. A um "marrao", falta-lhe a paixao e iniciativa, e uma carreira sem paixao nunca deixara de sermediocres nem que todas as notas da pauta estejam acima dos 19 valores. Por isso um ensino mais interactivo e nao com uma so direccao, poderia funcionar melhor, pois os professores poderiam avaliar o aluno em mais vertentes incluindo a paixao... sim, porque quem deixa de viver, quem nao comete loucuras, nao esta pronto para enferentar o mundo e o mercado de trabalho. teve uma vidinha demasiado perfeita e pensa que tudo sao rosas.
A ordem nada mais e do que um dos muitos poleiros que por ai andam.

Em relacao aos professores, como na funcao publica em geral, os sindicatos sao uma parte importante do problema. Os sindicatos em Portugal nao se preocupam com o emprego, preocupam-se com os salarios, porque e daqui que lhes vem as quotas. Aquando da crise alema pos reunificacao, os sindicatos alemaes tomaram decisoes de louvar, como propor reducao de horario de trabalho (e reducao de salario) para garantir a sobrevivencia das entidades patronais devido a quebra no consumo (mas esta discussao de sindicatos seria tema para outro post e esta a desviar-se do tema). O que falta ver a todos estes professores, desde que o sistema fosse claro e justo, e que o ter um trabalho precario pode ser transformado numa vantagem. basta a seleccao naos er feita por anos de trabalho, conhecimentos e lobbies mas por competencias e capacidades.

Finalmente, apesar de os salarios de um medico ou de um professor estarem acima da pedia, penso que a media nao e referencia e e muito baixa, alem de o rendimento dos portugueses estar subestimado com muito pagamento que rola por baixo do pano. Ou seja o salario medio e bastante superior ao que se declara.

ja me alarguei demasiado e isto mais parece um post. Vou organizar as ideias e, se me apetecer, postar sobre isto.
beijos

Melões Melodia disse...

Diabba - os portugueses estavam convencidos de que era bom, ja nao sei se sera assim... olha que levar com o estigma de funcionario publico em cima nao deve ser facil... e depois os bons levam pelos maus e todos pela medida grande.
Beijos

Mocho - e todos tentam entrar e sair em andamento.
Abraco.

Melões Melodia disse...

Amigona - Tambem acho que ha pessoas honestas em todos os sectores de que falo. Mau seria, e ate acredito que nao sao uma reduzida minoria, mas basta um unico dos nossos orgaos vitais falhar para morrermos, certo? Alias, como tem sido tema de muitos dos meus posto, o mal faz muito mais ruido do que o que feito de bom.
Um beijinho

FiFi - Olha que nao penso muitos dias, estas ideias ja as tenho ha muito tempo. Ontem li uma noticia sobre os salarios dos acessores da camara de Lisboa 4000eur/mes e lembrei-me de que nunca tinha falado disto. E ca vai disto.
Em relacao ao dinheiro, nao acredito que toda a gente esteja sempre a pensar em dinheiro, mas se me fazem duas ofertas de trabalho, as duas em sectores que conheco e gosto e numa me pagam bastante mais, acho que a escolha e facil. Nao conheci ninguem que ficasse chateado porque passou a ganhar mais.
E depois se tiveres a sorte de ganhar bastante mais fazes da tua vida e do teu dinheiro o que a tua consciencia bem entender. Querendo dizer que o dinheiro em si nao e o problema, o problema e o que fazemos com ele.
Beijos

Anónimo disse...

O dinheiro não serve exactamente pera nada pois quem tem muito gasta muito e por vezes ainda rouba o que é dos outros, conheci muitas realidades destas no meu trabalho,que fugi para não ser afectada,como aconteceu e está a acontecer a alguns colegas meus.Quanto à saúde isto vai melhoranda,até muito, neste momento estou num novo progama de saúde no meu posto médico,e é simplesmente uma maravilha,igualmente nos hospitais que estão muito melhores,posso dizê-lo porque desde 2004 que tenho necessitado destes serviços e tiveram todo o cuidado com probemas criados pela má assistencia de antigamente.Quanto aos professores o dinheiro não ajudaria a serem melhores,mas, sim uma vistoria a aulas em que os professores nem sequer são ouvidos pelos alunas de serem tão introvertidos e de outros que nem sabem nada de nada,acontecia exactamente comigo nas aulas de ingês e história que quase adormecia ao sabor das suas palavres.Falo assim porque na minha familia existe um pouco de cada profissão de que falas e eles são muito dignos apesar de não serem muito bem pagos.Quanto a aceitares entre dois empregos o que seria mais bem pago,eu faria o mesmo,é logico,mas, continuo a dizer que Portugal e todos os paises do mundo está nas mãos dos jovens,vocês todos juntos têm que criar pilares para um mundo melhor,incluindo o vosso PORTUGAL senão, (já falo quase como o presidente americano),a 3º guerra mundial está quase aí,e nem podem calcular o que seria de nós,seria pior que a queda das torres gémeas pior que a guerra no Iraque.pior que o terrorismo,pois que todos estes flagelos,por vezes matam pouco,mas,o ser humano passa a ser simplesmente um trapo sem utilidade.Chau tinha que dizer mais isto.FIFI

Melões Melodia disse...

FiFi - nunca disse que nao ha pessoas dignas nestes tres sectores, como tambem nao concordo que todos os que ganham muito gastam muito e ainda roubam. Conheco muito gente que ganha bastante e gasta bastante nos outros.
Sim, a saude vai melhorando e o ensino tambem, mas sao passos de caracol. Nao e o dinheiro aos que la estao. Ao pagar mais atrais ao sector outras pessoas que devido as sual altas competencias estao a trabalhar noutros sectores onde ganham mais, so isso.
E continuo a achar que o dinheiro bem utilizado pode ter muito de bom. Como disse no comentario anterior, nao e o dinheiro que faz uma pessoa ou uma sociedade, mas o que se faz com ele.
beijos

Anónimo disse...

Eu Fifi ainda tenho que esclarecer que não sou de nenhum partido,e votar para mim tem que ser no que fala menos mal dos outros e o que me poderá dar mais confiança,apesar de ultimamente isto ter quase as mesmas caras,sendo assim o melhor,não é faltar como faz a maioria,mas fazer um risco e entregar um voto nulo.Além disso o pessoal ganha pouco,mas, tem muitas ajudas (brutos carros comidinha de borla,combustiveis,muitas horas extras a preços fabulosos,e até a roupinha que vestem é subsidiada,e alguns até casinha de borla,no final de somado é uma grande maquia)Também não podem deixar os anteriores empregos,porque estes são lugares de passagem.Chau da FIFI

Melões Melodia disse...

FiFi - a questao que se poe nao e a da cor politica, que nada tem a ver com o assunto. Votar, sempre. quem nao vota que nao se queixe pois nao votar ou votar em branco e passar um cheque em branco a quem ganha.
Quanto a boa maquia que tu falas, nao e suficiente para fazer os gestores de topo do sector privado, as pessoas com valor, mudarem para uma carreira na politica.
E porque gerir a vida de 10 milhoes de pessoas nao e tarefa facil e e trabalho arduo, necessitamos gente a tempo inteiro com muitas qualidades e ainda mais capacidades, e isso custa bastante.
beijos

geocrusoe disse...

Bem, como funcionário público já ouvi aqui qb para perceberem que não é agradável tentar-se ser competente e ouvir sempre as piores coisas da classe e não convenientemente pago.
Concordo que não me choca que os políticos ganhem bem, choca-me saber o nível a que descem, como descem e porque descem (não os conhecesse eu demasiado perto), não tenho a certeza se isso resolveria o problema da falta de qualidade no interior da classe. A não ser que estejam a pensar que com bons vencimentos aconteceria aquela máxima que diz que a boa moeda expulsa a má moeda.
Sei que em muitos sectores públicos, independentemente do local onde exercem a sua profissão não dirigente, é frequente ver-se a promoção da mediocridade e o asfixiar dos mais competentes e honestos, pelo que não sei se o salário é o único estimulo para a qualidade. Mas concordo que saúde, ensino e governança são pilares da sociedade, mas também a justiça o é.

AEnima disse...

consequentemente queda dos precos do sector privado, que pode tornar o sector publico mais atractivo --- Falas do lado da oferta... certo... nao e' isso que se pretende? Baixar os custos de saude? Nao estou a ver qual e' o problema aqui. Portugal so tem a beneficiar com o aumento de oferta de medicos (pelo menos, por agora).

De resto parecemos concordar muito. No caso dos professores a 100%. E so nao falei dos problemas salario medio/efectivo etc etc porque tb ja estava longa. Tens toda a razao, e' certo.

Se voltares a postar entao, ca estarei para ler :)

Beijocas

Melões Melodia disse...

Geocrusoe - eu nao tenho absolutamente nada contra os funcionarios publicos. Alias, digo num comentario acima que levar com o estigma do funcionario publico nao deve ser facil, e que os bons levam pelos maus. Os salarios mais altos claro que nao serao a solucao, mas sera, contudo, uma forma de atrair mais gente competente que ate gostaria de estar envolvida mas nao se envolve pois saira saplicada por um ambiente mediocre por uns "miseros" tostoes.
Quanto a justica, concordo que tambem e um grande pilar da sociedade, mas vejo-o mais como um pilar corrector quando algo se passa mal num ds outros tres.
Abracos

Aenima - sim, gostariamos de custos da saude mais baixos, mas o orcamento nao e elastico. E necessario primeiro reformar a classe para a poder aumentar.
Beijos

chiqui disse...

Bem... vai aqui um forum de discussao...
Discordo de algumas coisas que li aqui nos comentarios, apesar de concordar com o teu post.
Especialmente no que diz respeito a educacao. Para mim, a nossa tao falada "CRISE" nao vai terminar nunca enquanto nao se fizerem gigantescas reformas no nosso sistema de ensino. Mas uma coisa com tomates, e pes e cabeca :)
Lembro-me sempre de um amigo que estudou comigo em Evora, desistiu do curso e foi estudar para Inglaterra. Quando lhe perguntei qual era a grande diferenca entre os 2 sistemas de ensino, ele respondeu-me: "enquanto que em Portugal o ensino procura as tuas falhas, tipo sabotagem, la fazem tudo o que for possivel para que sejas bem sucedido"
Parece-me que podiamos comecar por ai!
bjos

Melões Melodia disse...

chiqui - tens toda a razao quanto ao sistema de ensino. Em Portugal, quando eu era estudante (e agora nao sera muito diferente) grande parte dos porfessores universitarios eram reconhecidos pelo numero de chumbos ou notas baixas que davam, falar com alguns deles era mais dificil do que ter uma audiencia com o Papa. Neste pais os professores estao disponiveis e se tiverem uma percentagem significativa de falhancos e aberto um inquerito. E nao percebo os professores que se entem orgulhosos com o falhanco dos alunos. Afinal foram eles que falharam porque nao conseguiram ensinar.
Beijos

125_azul disse...

também quero participar nessas tuas conversas com a Aenima... Beijinhos (e que pena tenho de estares cheio de razão!!!)

Melões Melodia disse...

Azulinha - sempre que quiseres, este canto esta aberto a opiniao de todos.
beijos