segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Natal


Há cerca de dois mil anos nasceu um menino que veio mudar o mundo.

Podemos acreditar ou não neste menino que nasceu.

Este menino revolucionou o mundo de então, fez frente aos poderes instituídos e pôs em causa, com as suas ideias e ensinamentos, a ordem então estabelecida que se definia na diferença de classes.

Como já Malaquias havia dito : "Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda, resistir quando Ele aparecer? Porque Ele é como o fogo fundidor."

E é neste mistério, abraçado por crentes e não crentes, que nos unimos neste fogo fundidor.

É através desta bela história milenar, que ainda hoje nos lembramos de falar com amigos esquecidos, que recordamos os amigos idos, que temos uma palavra e um gesto para aqueles que a vida espezinhou.

Acredito que hoje se celebra o milagre da vida e que o Natal não é, nem pode ser todos os dias porque a vida não é banal.

Jesus, sendo Ele filho de Deus ou não, tendo sido concebido e gerado numa virgem ou não, foi esse fogo fundidor como o disse Malaquias.

Para mim foi um Homem bom, que eu admiro profundamente e que me serve de exemplo. Divino ou humano, Divino e humano, não me interessa.

Faz-me sorrir, acreditar no que é bom.

Perdi uma avó este ano, perdi um amigo e hoje sinto a falta deles, mas não estou triste porque hoje é Natal e recordo com muita ternura os Natais na quinta e os doces da avó.

E por muito ruído que haja, todo o consumismo do mundo moderno, sentar-me-ei à mesa com a família e recordaremos as histórias dos que já não estão.

Olho então para o presépio. Vejo este menino pobre, recém nascido que veio mudar o mundo para melhor. Vejo este fogo que nos funde nesta noite, em que as diferenças se atenuam e as dificuldades se vencem como disse Isaías: "Os vales serão elevados, montes e colinas serão abaixados, os cumes aplanados e as escarpas niveladas."

Respeito quem acredita no menino Deus. Respeito quem não acredita. Eu mesmo, não sei bem onde me situo.

Acredito que hoje, nesta vigília do Natal, o fogo deste menino ainda nos une e nos torna melhores porque tendemos a esquecer os momentos difíceis e a desculpar os que nos magoaram.

Porque hoje celebro a vida, a tua, a dos que estão comigo, a dos que não estão, a dos que já estiveram, e, acima de tudo, se me permites, a minha.

Por isso aqui vos deixo os meus votos de um Santo Natal, e, mesmo podendo ser banal, desejo-vos saúde, paz e amor.

8 comentários:

Maçã com Canela disse...

Espero que tenhas um santo Natal, carregado de paz e muita saúde, acho que tudo virá por acrescimo!
Que hajam muitos sorrisos!

Beijinhos!

amigona avó e a neta princesa disse...

E eu num abraço grande de amizade te deixo os mesmos desejos...tudo de bom, meu amigo...

geocrusoe disse...

Crendo ou não crendo, é a olhar o milagre da mensagem do Menino e Homem Jesus, de que hoje comemoramos o seu nascimento, que nos faz reflectir a importância do natal e da humanidade. este natal em especial está a fazer-me pensar mais nos outros e a protestar contra esta festa comercial que tende apagar a mensagem principal, mas continuo a desejar a ti e a todos um feliz Natal.

Cara D'Anjo Mau disse...

Eu acredito nas pessoas.
Feliz NataL com muita saúde.

Afrika disse...

ola, espero k tenhas tido um bom natal junto da família e amigos.
Beijinho
P.S. já tenho tudo a postos pra ida pra Londres!

calamity jane disse...

A janta é em Alcântara, rua Prior do Crato, 131-133, restaurante/marisqueira Brilha Tejo, ao lado do BES e do Paraíso de Alcantara e frente ao Palácio. Às 20h30. Mandei-te um mail

beijos

Melões Melodia disse...

Maçã com canela - Obrigado.
O Natal correu bem, espero que o teu também tenha sido excelente.
Beijo

Amigona - Obrigado. Tudo de bom para ti e que os teus mais íntimos desejos se relaizem este ano.
Um beijo.

Geocrusoe - Eu tento não perder tempo a pensar no novo lado consumista do Natal. O resto é o que realmente interessa.
Um abraço

Melões Melodia disse...

Anjo - Eu também.
Abraço

Afrika - Foi muito bom. Vemo-nos em Londres.
Beijos

Calamity - como já te disse por mail, não vou poder esta presente. Mas há mais marés que marinheiros.
Beijo e bom jantar