quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Porque hoje e 24 de Janeiro

Pois e!
Hoje e quarta e nao me apetece estar bem disposto. Ate comecei o dia bem disposto quando acordei e vi Londres coberta de Neve.
O meu caminho ate ao metro foi sem duvida uma aventura memoravel a descobrir os encantos de Londres numa manha fria, lembrando outros passeios.

Mas leituras e pensamentos, viagens a outros blogues conseguiram diminuir a boa disposicao que se manifestou em mim. As recordacoes e duvidas conseguiram dar a machadada final!

Nao tenho que estar sempre contente e feliz... nao tenho! Pronto, nao tenho!!!!
Tenho as minhas neuras, as minhas preocupacoes, as minhas frustacoes...

Ha muita gente que nao o compreende... na minha vida tudo parece correr bem
- tenho uma familia que me adora;
- tenho uma cara metade que me adora e a quem eu adoro (mas vai ter que pagar-mas porque nao pode ir de ferias ate ao fim de marco, como prometido e oferecido... e la terei eu de me deslocar ate as canarias e passar la as duas semanitas que me restam das ferias de 2006);
- tenho um trabalho de que gosto, uma equipa simpatica e um grupo de amigos enorme que nos momentos mais dificeis me apoiaram e sao a razao de ainda estar aqui.

Quer isto dizer que sai de uma vida em que tinha um futuro nao muito animador.
- uma relacao longa e possessiva onde trocas de insultos, violencia e ciumes eram uma constante;
- uma depressao maior do que o mundo nao seguida nem tratada;
- uma vida de “nao penso, logo nao existo” como li algures, porque deixei de me cuidar e por isso vi-me quase a deixar de existir.

As coisas mudaram quase como um milagre, mas, depois de quase 10 anos a viver com problemas, sinto-me perdido. Nao tenho porque queixar-me, e verdade, mas porque carga de agua serei eu o iluminado brindado com a sorte que toda a gente quer?
Que tenho a mais do que os outros? Porque tenho amigos que me fizeram lutar? Porque tenho uma familia que me ama incondicionalmente? Porque tenho um bom emprego e faco o que gosto? Porque? Porque?

E acima de tudo, porque e que fui escolhido para ficar por ca, quando vejos outros com os mesmos problemas a partirem?
E porque e que tenho de sofrer com esta eleicao?

Um dia recebi uma ma noticia, que qualquer um pensaria que seria o fim do mundo... nao foi... foi um dia calmo e sereno, o ceu estava azul e o sol brilhava... quando cheguei ao Porto, depois de recebida a noticia, vi-o mais belo do que nunca, vi todos os pormenores, amei ainda mais os meus pais e amigos, e emocionava-me a ver os pardais no terraco a comer as sobras da comida da minha cadela... andava devagar, lentamente, como quem saboreia a melhor iguaria do mundo pela ultima vez, posso dizer que nesse dia estava feliz!

10 anos se passaram e com eles dor, sofrimento, angustia e uma vontade de morrer. Decido sair do pais... ainda hoje me pergunto o que me levou a sair... tera sido a carreira? Duvido.

Sei que queria fugir de amigos e conhecidos, da familia... nao queria dar explicacoes a nada nem a ninguem, queria retirar-me lentamente e fazer-me esquecido para diminuir o sofrimento dos que me queriam quando chegasse o momento.

Mas a vida do meloes ainda daria voltas...
Noutro dia de sol, um dia frio de janeiro, quando vivia na cidade de Madrid, recebi outra inesperada noticia... a noticia que sempre quis ouvir.
Estava num restaurante italiano a almocar, so, porque esperava um telefonema importante e a noticia veio como uma pedra. Nao podia comer, nao podia rir nem chorar, nao podia falar... era como o mundo se tivesse cristalizado e de repente vivia num mundo que nao conhecia. Uma nova realidade incerta se abria de novo a minha frente e nao sabia o que fazer.

Os meus amigos foram ter comigo a Madrid. Um louco fim de semana de Janeiro. Sairam do Porto, dois na sexta, os outros no sabado, para regressarem ao Porto no Domingo. 1200km em pouco mais de 24 horas para poderem celebrar comigo.

Creio que ficaram desapontados. Estavam mais euforicos e excitados do que eu. Eu sentia-me como se tivesse levado a maior tareia da minha vida. Mais forte do que a que levei noutro dia de sol, mas este de verao, quase dez anos antes.
So pensava: Porque eu?

Nao sei, mas quatro anos depois, no mesmo dia de janeiro, tambem com frio me pergunto:
“Porque eu?”
E neste dia, 24 de Janeiro, em que me devia sentir feliz porque faz quatro anos que nasci de novo, so me apetece chorar.

segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

Feliz ano e o puto do exaustor

Feliz ano a todos carago!
Acabo de chegar de Salamanca, que mais parecia uma aldeia portuguesa, ou então "nuestros hermanos" andam a aprender português e com sotaque do norte, carago!

Foi bom, carago!
O jantar uma merda, as doze badaladas não se ouviram, o hotel era uma chaleira - a temperatura era ideal para fazer chá, ou por isso saimos de la um grupo de chalados.
Uma viagem Porto-Salamanca em 2h15min com um gajo a conduzir entre os 200km/h e os 220km/h, i.e. um louco!

Mas pelo menos estive 3 dias com a minha cara metade mais que tudo que virou o barco na primeira noite devido as copas e na terceira devido a massa do almoço... melhor só por encomenda...

Mas ainda deu para o pessoal se rir com a revelação da prenda de Natal do meu futuro cunhado Abécula D. Rodrigo à minha maninha - não NADA como foi referido no post anterior mas sim o prenda desejada por qualquer gaija trintona - um exaustor!!!

O maninha já te disse que ainda vais a tempo!