sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Desabafo


Todos temos um lado menos bom. Conheço o meu demasiado bem. Já andou, indomável, à solta. Provocado e alimentado de uma forma destruidora e da qual me envergonho.


Pensava na altura que era amor, paixão, mas que paixão nos pode magoar tanto que passamos a vida a recuperar das tareias e a ver como se pode magoar quem mais gostamos? Ou pensamos nós que gostamos?
É o amor um sentimento que nos torna maus? Verbalmente agressivos? Manipuladores do sentimento alheio? Que nos faz escolher as palavras com uma precisão cirúrgica para atingir no centro do peito a razão do nosso amor?

É o amor um sentimento destruidor?

Não. Não acredito. Mas sei que um sentimento que um dia chamei de amor me transformou naquilo que nunca quis ser. Anos de dor, angústia e muito sofrimento. Fui magoado, magoei, e continuei a ser magoado e continuei a magoar.

Esta relação consumia-me física e mentalmente, tal a dependência dos dois e o medo de estar longe, de perder a outra metade.

Tudo isto cresceu, num crescendo assustador, transformado num acidente de carro espectacular mas, felizmente, sem consequências muito graves.

Um dia, ameaçada a sanidade mental, física e a carreira, depois de mais uma estúpida discussão de horas que entrou pela noite dentro, consegui pensar.
Disse Basta! Chega!, Não é isto que eu quero para mim. Não me reconheço. Fim.!

Continuei uns tempos nessa espiral de desespero. Queria voltar atrás no meu Já chega! Mantive-me firme mas ferido. Perdido num mundo que se tinha consumido.

Não era eu. Não me reconhecia.

Andei à deriva muito tempo. Pensava que tinha tido a minha dose de felicidade. Que não havia nada a passar. Olhava-me e assustava-me com o que via. Onde estava a inocência? Quem era este monstro que vivia dentro de mim, que tinha crescido para além das fronteiras do meu corpo. Nada fazia sentido, não fazia sentido a vida, não fazia sentido a amizade, não fazia sentido estudar, fazer música... porque era o que não queria ser e como não queria ser.

Transformei-me num lobo solitário, percorrendo a cidade no meu carro, percorrendo o país por estradas vazias, parando à noite em frente ao Douro. Conseguia sair de dentro de mim, olhar para este ser que se tornava anti-social, que começava a magoar amigos e família porque nada era importante.

Deixei-me ir ao sabor do vento. E este levou-me, lentamente, como uma leve brisa marinha, a uma paz que não julgava possível. Acalmei, aprendi a conviver com o meu novo eu, a aceitar-me, a não esperar nada da vida.

Foi aí que a vida me brindou com o milagre de voltar a amar. De uma forma mais sã. Comecei, lentamente, a ganhar respeito pelo meu corpo, pelos meus sentimentos, pela minha alma, por mim e a vida encontrou um novo sentido. Mais calmo.
Regressei à família, aos amigos. Regressei ao amor que acreditava não ser merecedor.

Mas hoje, depois de um incidente menor, não atendi o telefone. Recebi um mail e respondi com duas pedras na mão, sem sequer dizer um gosto de ti. Sem razão. Sem motivo. Só porque me senti magoado por uma coisa menor. E em vez de explicar que me tinha magoado, ataquei para magoar. Como já não fazia há muito tempo... e a resposta, como uma bofetada foi: “Vale, tienes razón, se que (fiz isto mal). Pero te quiero!!!!!!”

Assustei-me. Esta bofetada mostrou-me que esse Melões do passado ainda anda por aqui. Tive vergonha de mim.

Tive medo.

24 comentários:

Afrika disse...

Ola, é engraçado que na semana que tiveste cá a tua "metade" eu passei por cá todos os dias e não havia novidades! imaginei que alguma boa razão devia haver pra não teres escrito nada de novo... e hoje dou logo com 2 post! Como de costume li um e outro... não vou comentar! As vezes as palavras sao desnecessárias e superfluas... fica um beijo grande.

geocrusoe disse...

Não tens de ter vergonha daquilo que dentro de ti não gostas ou não queres ser, pois não é fruto da tua vontade. Tens é de ter a capacidade de saber dominar essa parte de ti que não queres que te escravize. Aliás, para mim, saber viver, não é não conviver com aquilo que de menos bom existe em nós ou à nossa volta, mas antes ser senhor de si e superar esses espinhos que também mostram se crescemos o suficiente para não nos picarmos neles. embora às vezes seja mesmo difícil...

Diabba disse...

Tu tens um dom que reconheço a pouca gente: deixas-me sem palavras.

Quanto ao último parágrafo, lembraste das Canárias? Lembraste que eu te disse para não fazeres daquela ida o fim-do-mundo? Vai com calma porra. Aceita pacificamente que alguém te ama, mas que também não tem tudo sob controle.

Às vezes as nossas decisões estão condicionadas pelo mundo exterior.

beijo d'enxofre

Melões Melodia disse...

Afrika - Quando tenho ca a cara metade, o tempo voa. Palavras para que?
Beijo

Geocrusoe - o que mais me assustou na minha reaccao foi saber que esse lado tambem e meu. Durante todos estes anos, quando revia o passado e a turbulencia da minha primeira relacao, culpava a outra parte. Reagia a ataques. Ontem dei-me conta que afinal esses ataques podem partir do meu lado.
Abraco

Diabba - eu sei. E dificil para os dois e queremos os dois uma solucao que nunca mais chega. E apesar de nao ser relacionado com isso, o tempo e a distancia tambem me consomem.
Beijos

amigona avó e a neta princesa disse...

Sou assim como a diabba: apetece-me ficar a ler-te e não dizer nada, só estar ao "teu lado" e com a amizade poder dizer-te tudo!
Obrigada por abrires o teu coração desta maneira TOTAL! Compreendo MUITO BEM o que dizes que é, afinal, comum a muita gente: vá lá saber-se muito bem porquê, às vezes disfarçamos o amor(??) tiranizando aqueles de que gostamos...somos maus, safados, CRUÉIS!!!

Quem como tu coloca estas interrogações tem muita possibilidade de continuar a CRESCER! À medida que os anos forem passando penso que irás evoluir meu querido. Porque TU sabes o que queres!
Vinha dizer-te que tens lá no meu cantinho um desafio.Acho que este podes fazê-lo, tem a ver com música. Quando quiseres...beijinhos...

Anónimo disse...

Sermos bons nas alturas em que a vida nos dá tudo é fácil,o dificil é gerir os maus momentos,temos que ter a humildade de perdoar os erros dos outros,e respeitar os pontos de vista da outra metade, só assim seremos verdadeiramente felizes,e viveremos em paz.Tens que deixar a vida fluir tanto para ti como para as pessoas que amas,todos nós temos que ter o nosso espaço,e devemos respeitar isso.Beijinhos e tem calma e paciencia. FIFI

Melões Melodia disse...

Amigona - tambem fico sem saber o que responder aos vossos comentarios. Quanto ao desafio, la irei ver.
Beijos

FiFi - tens razao no que dizes e sei-o bem. Passo a passo, la chegamos.
Beijo

caditonuno disse...

tens razao em dizeres isso que o vleho melao anda por aí.só tens que lutar e afastá-lo, nada mais. amar e pedir desculpa.depois o resto vem por acréscimo. nada mais simples.

pá, só nao gostei que ela fosse espanhola, pelo que me deu a entender! eh, eh.

Melões Melodia disse...

Cadito nuno - pois, mas a cara metade e espanhola!
Abraco

Lisa's mau feitio disse...

Olá,
obrigadinha pela visita ao meu blog. volta sempre, que eu sou engraçadinha...

Agora aqui, no teu blog...

Obrigadinha por este post.

Vai ajudar-me a mim. Sabes que me li aqui?

Nem tenho palavras... E olha que não sou de me calar.
Vai ser a minha oração da noite, este post. Vai.

Beijos e tem uma boa semana.

Lisa

Melões Melodia disse...

Lisa - fico contente que te tenha servido para algima coisa. para mim serviu-me de muito.
Beijo

125_azul disse...

Há sempre um bocadinho do que fomos no nosso novo eu e isso pode ser assustador. "pero te quiero" deve ter significado que acara metade mais que tudo compreende e aceita isso...
Abraço e miminhos

Melões Melodia disse...

Azulinha - as vezes pergunto-me como me veio cair as maos uma pessoa tao boa, sem ponta de maldade e que sabe domar de forma impressionante o meu mau feitio e teimosia!
Beijocas

Ck in UK disse...

o q eu ja me ri com os comentarios (sabes pq, nao e?)
o q tu tens de mau feitio tem a tua cara metade de angelical. e isso e que e!!!!

Melões Melodia disse...

O cilinha - oube la, so eu e que posso dizer que tenho mal feitio estas a ouvir?
beijos

calamity jane disse...

Disse que voltava breve breve e era para comentar o post abaixo. Mas tudo o que pudesse ter para dizer ali desvaneceu-se após ler isto. Sim, relações tóxicas demoram muuuuuito tempo a sair-nos da pele. E as nossas células têm memória. Por vezes é essa memória quase epidérmica que faz vir ao de cima coisas que julgávamos já ter aniquilado em nós. Mas vale a pena seguir em frente. Sempre seguir em frente. Mesmo com o medo. Quem me dera aprender a não olhar para trás...
hoje um abraço

Melões Melodia disse...

Calamity - nao olhar para tras pode ser uma ideia muito apetecive, so nao creio que sera a acertada. Acertado, para mim, e saber olhar para tras sem ficar preso ao que la se passou.
Beijo grande

disse...

Dear Melon ;) sabes que somos todos um bocadinho assim, guerreiros com as palavras... às vezes ganha-se, às vezes perde-se e contra mim falo. A pessoa contra a qual se guerreia também tem muita influência: nem sempre está para ouvir as nossas "palavras como balas" ou para nos dar uma segunda oportunidade (sim, porque este é o recurso mais usado por quem fala demais;), mas desde que essa pessoa saiba que as palavras que nos saem da boca não são só para magoar ou ofender e que tu caias em ti e percebas que havia outras maneiras de dizer as mesmas palavras, não me parece que haja motivos para vergonhas ou medos.

B

Pitucha disse...

Que post impressionante.
Beijos

Anónimo disse...

A cara metade é muito esperta,e sabe viver,e sabe também que depois da tempestade vem a bonança,e a reconciliação é o melhor do mundo.Ainda bem que existem mulheres assim.Beijinhos e toca a correr para os braços da felizarda tira lá esse orgulho, é muito simples.Beijo da FIFI

amigona avó e a neta princesa disse...

Sabes aquele abraço? Vim deixar para ti...beijinhos...

Pitanga disse...

Mas quem não tem uns diabinhos guardados lá no fundo e prontinhos a sair quando menos se espera?

Olha, vai lá em casa. O Correio Sentimental de Pitanga Doce está aberto, "SÒ PARA MENINOS".

beijos e não te arrelies

Melões Melodia disse...

Be - o que te posso dizer e que tenho muita sorte. As discussoes nao sao alimentadas e acabam na segunda frase. Pena e que nao seja eu a conseguir acaba-las.
Beijocas

Pitucha - pois.
Beijos

Amigona - Obrigado. Uma beijoca para ti e para a princesa.

Pitanga - Ja vi o teu correio sentimental, mas nao pago a consulta. Na publicidade nao dizia que nao era gratis!
Beijocas

Marlene disse...

Boa noite,

Li o post do desabafo e deixou sem reacção....principalmente este frase: "Mantive-me firme mas ferido"...Poucas palavras mas com muito significado.

Escreve muito bem.

Comprimentos