sábado, 1 de março de 2008

E como sou um ingrato mas não por muito tempo...

...aqui ficam uma dívidas pagas.

Há alguém para quem a vida são instantes, que nunca desiste de mim. É mais um destes conhecimentos virtuais que vai crescendo e que passa por aqui todos os dias. Lança-me desafios e prémios e eu tardo em realizar os primeiros e nunca trago os segundos.

E já sabe que nunca trago os prémios, que os deixo lá guardadinho, pois enquanto lá ficam, fica um bocadinho de mim. Não são só os prémios destes instantes da vida que não trago. Não trago de nenhum lado.

Não vou dizer, no entanto, que não gosto de ver o meu nome nestas nomeações. Gosto. As pessoas lembraram-se de mim, reconheceram-me e isto faz muito bem ao ego e à alma. Pois desta vez disse que o meu blog é um “Bom Blog, Porra”, daí, aqui a minha nota de que estas coisas não me passam ao lado e um muito obrigado.

Não ando aqui pelos prémios, nem sequer me candidatei ou concorri ao que quer que seja e despejo, muitas vezes, cada chorrilho de ideias, que só não apago mais tarde porque sou teimoso. E a história não se apaga, mesmo que seja a história da nossa alma.

Também me deixou um desafio – as canções da minha juventude – e disse-me inocentemente, este vais gostar porque és músico.

Pois aí é que está o problema. Como comecei a estudar música muito cedo e a cantar ainda antes da escola primária, passaram tantas músicas pelas minhas mãos, que me é difícil dizer que determinadas músicas me marcaram. Ou marcaram muitas, ou nenhuma, não o sei. Recordo-me que ainda criança gostava do Carlos Paião e sofria de dor quando tinha de ouvir a minha irmã com ABBA. Nunca fui das músicas da moda, mas grupos houve, ou pessoas que me seguem até hoje e dos quais tenho tudo.

Sakamoto será sempre uma referência, desde as suas geniais bandas sonoras, ou os Boulevard of the Broken Dreams, que tinha um disco em vinil comprado no Corte Ingles de Vigo que adorava, e que tive de me desunhar até encontrar os CDs e mandá-los vir sabe-se lá de onde. Mas os clássicos sempre estiveram muito presentes desde muito tenra idade.

Não respondo totalmente ao desafio, mas não sei fazê-lo de outra forma.

Já mais recentemente a vizinha ali do Lote 5, tambem me deixou um desafio cheio de regras... não achas que já há regras suficientes neste mundo em que vivemos? Ora bolas... agora, até para postar, necessito de regras?

Pois a vizinha do Lote 5 desafia-me a contar seis coisas sem importância sobre mim. Pois cá vai:
- todos os dias a meio da manhã desço do estaminé para ir buscar um café. Dou a volta ao quarteirão;
-todas as manhãs no metro recolho um jornal destes grátis, o metro, e enquanto desço as escadas rolantes leio os cartoons e o zodíaco;
-vou regularmente até ao Hyde Park com um saco de amendoins, dar de comer aos esquilos;
-quando entro num dos muitos elevadores do estaminé (ou do Heathrow Express) aperto imediatamente no botão de fechar portas, e irritam-me as pessoas que o utilizam por um andar... que subam as escadas, que o exercício faz muito bem;
-estou inscrito num ginásio mas este ano ainda não pus lá os pés;
-escrevo a maioria dos meus posts em papel e todos em word (para ter direito a acentos) e só depois os publico. Ainda assim, não os revejo e há sempre uma gralha aqui e ali.

E agora deixo as regras da Carlota (se bem que eu mesmo não as cumpro todas)
1.. Colocar o link para a pessoa que nos "marcou".
2. Colocar as regras no blog.
3. Partilhar 6 coisas sem importância sobre nós.
4. Marcar mais 6 pessoas no final.
5. Avisar estas pessoas deixando um comentário nos seus blogs.

Ou seja para mim três regras são mais do que suficientes, mas deixo-vos as outros no caso de alguém querer continuar com o desafio.

9 comentários:

calamity jane disse...

Gosto do Sakamoto, gosto de esquilos, e tb me irritam as pessoas que usam o elevador para subir (ou descer!!!) um andar. Lá no estaminé há sempre fila à porta dos ditos e só cabem seis pessoas magras de cada vez. Uso-os porque são 7 andares e mesmo assim muitas vezes para descer não tenho pachorra para esperar...
Tb gosto de escrever os posts em word e em papel, até porque tenho sempre algum receio que um dia desapareçam...
Fico contente por ver que andas mais animado e espero que seja desta que tomamos o tal café. Traz a Cilinha contigo e fazemos a despedida de solteira dela aqui na Mouraria. Que tal?
Beijos

Melões Melodia disse...

Calamity - Acho muito boa ideia... ou podes tu subir ate ao Porto para um cafe... duvido que a Cilinha tenha muito tempo disponivel!
Beijocas

amigona avó e a neta princesa disse...

Eh! Eh! Foste divinal, meu querido!!! Gostei daquela do ginásio! Ontem inscrivi-me...espero que não me aconteça o mesmo que a ti!Beijocas...

amigona avó e a neta princesa disse...

Vês, como não como tu saiu mal: "inscrevi-me"- agora está certo!!! Beijos...

amigona avó e a neta princesa disse...

E só agor reparo que tornou a sair mal - "como não sou como tu..."!!! Beijos...

Carlota disse...

Muito bem, obrigada por teres tido a paciência de aceitar o desafio! :)
Quanto a ginásios, parece que estamos conversados. ;)
Beijola.

Lisa's mau feitio disse...

Pois eu já cá não vinha há algum tempo (ingrata, eu sei...) e deparo-me aqui com posts e posts do tamanho do Mundo para ler!! Achas bem sujeitares-me a isso agora? :D

temos de fazer um acordo: em semana de avaliações dos meus alunos, tens de blogar menos!!! Não acompanho o ritmo!!
Postais à velocidade da luz!!

Mil beijinhos daqui a Londres!!

Lisa

Vieira Calado disse...

Também ando envolvido nessas coisas. Mas nem sempre tenho tempo,como desejaria.
Um abraço

Ms D. disse...

Sobre a Pausa...

"I try to imagine the sensation of being dead - not breathing, turning off my mind - non existing. But this imagining never works. Life always wins. I emerge from these bouts triumphant and overflowing with energy, gulping the wind, reaching for the birds, feeling so vital I can hardly breathe." Douglas Coupland

Esatava a recordar um bom livro, numa pausa,quando encontrei este pequeno recorte que te deixo.

**