quinta-feira, 27 de março de 2008

Mais Desafios, Agradecimentos e Afins

Ainda estou na Santa Terrinha. Faz já uma semana que cheguei, e fará duas antes de regressar a Terras de Sua Majestade.

Apesar de andar por cá a trabalhar, dei-me esta pausa por muitas razões, principalmente para arejar a cabeça, comer boa comidinha e aproveitar o bom tempo, se bem que este último tem deixado muito a desejar.

Com todo este tempo, visita a amigos, a família, procura de casa, casamentos, concertos e afins, ando com muito pouco tempo (e vontade, verdade seja dita) para andar por aqui.

Escrevo pouco, comento pouco e, acima de tudo, tenho deixado de responder aos comentários e emails, o que, para mim, é uma enorme falta de respeito e de educação. Por isso apresento-vos as minhas desculpas e fiquem sabendo que todos os comentários, mas todos, mesmo os caídos em posts mais antigos (alguns em posts muito antigos) foram lidos.

Pelos blogues que leio diariamente (todos os que estão aqui ao lado), verifiquei que me foram deixados mimos, agradecimentos, agradecimentos a agradecimentos ou simples comentários. Continuo a achar este mundo blogosférico espantoso. O Melões, vindo do nada, foi conhecendo gente, foi lido e leu e criou relações onde antes julgava não ser possível.

Isto leva-me a outro ponto. O desafio da azulinha, que já veio da Carlota e que me é muito fácil de responder, porque, já há uns tempos, a pedido de outra pessoa, escrevi um texto sobre porque tenho um blogue.

Assim, e devido à minha enorme preguiça, deixo-vos parte do meu texto, escrito já há algum tempo, e por isso um tanto desactualizado.

Quanto aos links, tambem a preguiça tomou conta de mim, por isso, pesquisem nos links ao lado. La encontrarão as pessoas a quem me refiro. A Azulinha, as cangalheiras, os dois felizes, o ser positivo, enfim... detesto enumerar porque sei que me esquecerei sempre de alguém.

E cá fica o texto, ficando o desafio para ser respondido por quem bem entender.
“Tenho uma amiga que tem um blog há muito tempo. Nesse blog baptizou-me com o belíssimo nome "Michael Melões". Falávamos muito do blog e criei um profile para o comentar. Como o nome, estranhamente, já estava utilizado, criei o Melões Melodia – Melões porque assim fui baptizado na blogosfera e Melodia porque a música é uma parte importante da minha vida. Com a interacção com outros bloguistas, começou esta vontade pequenina (que logo foi crescendo) de criar um blog. Assim surgiu "As aventuras do músico guerreiro" se bem que este nome passa ao lado de muita gente. Mas para mim é muito claro. O blog é "As aventuras do músico guerreiro" e o protagonista, eu, o Melões.Há duas grandes razões para a sobrevivência deste blog: estando longe do meu país, é uma forma de continuar a escrever em Português, que se vai deteriorando depois de cinco anos fora; e, não menos importante, uma necessidade enorme de expôr sentimentos, anseios e vontades. Em relação a este segundo ponto tenho que esclarecer um bocadinho. Tive uma adolescência muito complicada, uma entrada na idade adulta ainda mais dura. Guardei-o tudo para mim. Encontrava nos papéis o meu escape. Quantos textos não tenho eu perdidos por aí com as amarguras e dificuldades de uma terrível adolescência. Criei uma sensibilidade diferente para as coisas do mundo quando soube que tinha a vida por um fio. As coisas mudaram surpreendentemente e de repente estava bom. Quando passamos por momentos assim, achamos que temos algo a fazer. Isso passa por denunciar o que está mal, mas acima de tudo, dar um bocadinho de esperança àqueles que pensam que a vida lhes foge e os maltrata. Como digo algumas vezes no meu blog, e é o mote do músico guerreiro, "Tudo é possível ainda que nos digam que não."
Para falar à vontade, porque conto coisas muito íntimas e refiro pessoas que existem e não quero ver sofrer (outra vez), decidi-me pelo anonimato. O que interessa é que a história é real.
No entanto "as aventuras do músico guerreiro" ganhou vida própria e deu-me a conhecer gente formidável a quem finalmente tive coragem de pôr cara. É uma decisão difícil a de dar este passo. Mas depois de um ano de existência, depois de muitos bloguistas que vêm e vão, há aqueles que ficam e com os quais se vão criando relações sólidas de amizade. Relações fortíssimas. Daí a conhecer a pessoa vai um passo. E nunca me desiludi.
Afinal o músico guerreiro aprendeu mais uma coisa nesta nova jornada. As relações criadas na blogosfera não são mascaradas. O monitor cria a distância suficiente que nos torna muito mais honestos em relação aos sentimentos e dizemos coisas que nos seriam muito difíceis de expôr cara a cara. E conhece-se gente que não conheceríamos doutra forma.
A propósito disto lembro-me de um jantar em Lisboa em que éramos quatro pessoas tão diferentes, que por vias normais, tenho a certeza de que nunca faríamos parte do mesmo grupo de amigos. No entanto criámos uma enorme cumplicidade, um carinho muito grande e essa abertura de horizontes vale a pena. Já os jantares com "emigrantes" aqui em Londres são diferentes. Temos muito em comum. Andamos todos pela mesma idade, temos educações similares e, acima de tudo, temos a vivência do que é viver numa terra que não é a nossa. A empatia é então muito natural porque conheces, mesmo antes de conhecer, uma parte importante da vida de cada um.
Como não tenho família neste país e tenho uma cara metade a viver longe, há vezes em que a solidão aperta. Nesses momentos o blog e os que por cá passam, tornam-se muito importantes e uma boa companhia, no entanto tive a sorte de ter uma integração fácil. É o sexto país que conta na lista dos países onde já vivi, Londres é uma cidade simpática, onde já tinha amigos, e a duas horas de distância da família e da cara metade. Além do trabalho (...) faço voluntariado com crianças doentes em fase terminal num hospital local. É um "trabalho" recente, mas duro. Uma vez mais, o blog serve para expurgar as angústias criadas por este tipo de trabalho, o trabalho mais reconfortante e bonito que alguma vez fiz e pelo qual me sinto realizado e feliz. (...)”

16 comentários:

Paulo disse...

Melões, fazes bem em arejar, aproveitar os dias, o que passa por estares contigo. Como sabes, os blogues são um mundo paralelo que pode notar a tua ausência, mas que sobrevive bem e que compreende ainda melhor a falta de vontade de passar por aqui. Acontece-me e acho que deve acontecer com toda a gente. Da minha parte, sou muito compreensivo e também adoro os mimos e conhecer as pessoas que estão por trás das palavras, imagens, vídeos e comentários. Inesperadamente, concluo que o que importa são mesmo as pessoas e não as personagens que vão criando num blogue. Acontece-me o mesmo fenómeno de admiração, de espanto!

Gostei que tivesses posto aqui o texto que explica a génese, além de partilhar os mesmíssimos sentimentos em relação ao universo bloguístico!

Um abraço e continua a tua pausa!

geocrusoe disse...

Ainda bem que agora estás ocupado com coisas que te dão prazer, teremos tempo para nos vermos aqui... claro que o que primeiro me prendeu neste blog foi verificar que era alguém muito ligado à música, depois foi o fascínio pelo músico guerreiro, com alegrias, tristezas, esperanças e receios comuns a muitos de nós, mas descritas em textos de um modo que me cativam cada vez mais. Pronto! fiquei visitante diário deste espaço e quase a te conhecer e a prever os passos seguintes. Aproveita.

Ms D. disse...

Ah e tal... tás cá... já se combinava um café comigo e com a destrambelhada! :)

*

Ps. Há qq coisa aqui nos melões que faz crashar o meu browser! Alguma pevide atrevida?

Anónimo disse...

Estás de férias,estás desculpado,beijinhos da Fifi e aproveita todos os momentos,deixa o blog ir de férias também,mas,nunca deixes de escrever,nem que seja um olá estou bem.Saudades do nosso Porto lindo.

AEnima disse...

we love you. Kiss

amigona avó e a neta princesa disse...

Pois descansa, diverte-te que voltarás quando te apetecer! Já cá estou! Um beijo grande de amizade e bom fim-de-semana...

caditonuno disse...

nao sei se ainda vais ler isto antes de voltares para londres, mas agora compreendi a verdadeira essência do teu trabalho aí em londres.

aproveita o f-d-s que resta que o sol está por aqui e quer ficar mais alguns dias.

abraço e boa viagem de regresso.

Diabba disse...

É verdade, tenho a certeza que, se não fossem os blogs, nunca nos cruzaríamos, ou se calhar sim... este foi só um meio.

beijo d'enxofre

Mim tai lobe iu tu! (a Xô D. Aenima debe de pensare ké a única que çabe línguas) pffffff

hihihihihi

Carlota disse...

De facto, lembro-me de já ter lido isto antes... :) Mas gostei de reler!
Beijola e aproveita-me essa estadia em PT!

Mocho Falante disse...

Olha diverte-te e aparece quando quiseres, quando puderes, até desfruta o que a vida tem de bom

um abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Um abraço de saudades meu querido...

calamity jane disse...

Oi
É só pra saber se já consegues visualizar a página? Através do pp link q tens aqui consegue-se... Diz coisas
bjs
(oube lá, se vieres aqui à Mouraria, não deixes de avisar. Tens pelo menos uma calamitosa e uma azulinha a candidatar-se ao tal café. Ou chá.)

125_azul disse...

Tou com a Calamity, se cá vieres, desta vez não escapas! Que bem respondeste ao desafio! Beijinhos e boas férias

AEnima disse...

Babe, não te vás embora sem te despedir da malta. beijinhos

Um dia depois do outro disse...

Muito bom dia.
é a primeira vez que leio este blog e gostei muito.
Percebo perfeitamente a noção de liberdade que nos pode dar escrever, porque esse é exactamente o motivo que também me levou a criar o meu.
também já vivi em Londres - 3 anos, e adorei.
Londres é especial.

AnAndrade disse...

Queria ter comentado um outro texto. Mas não sabia o que dizer. E, talvez por isso, não disponibilizaste essa opção.
Ao longe, torço por ti.
Um beijo.