terça-feira, 13 de maio de 2008

Bird Gerhl

Acordo cedo (como todos os dias da semana). O Sol continua a brilhar e inunda o meu quarto logo pela manhã.

Antes de ir para o escritório para mais um dia que suponha ser de muito trabalho, dores de cabeça, instabilidade (porque os mercados estão violentas e não sabemos até quando e onde temos trabalho), vou até ao hospital fazer uma simples colheita de sangue porque tenho uma consulta na próxima semana. Felizmente está tudo a correr bem e parece que a saúde se vai compondo a uma velocidade assombrosa que admira médicos.

Chego ao hospital. Sou o primeiro para a colheita. A enfermeira fala comiga. Queixa-se dos erros do hospital, diz mal dos colegas e do sistema (porque tem havido trocas nas identificações do sangue e, por isso, análises repetidas).

Depois de dizer mal de isto e daquilo, lá estou eu de braço estendido à espera de mais uma picadela (uma constante nos últimos dois meses).

Enfia a agulha, faz não sei o quê e de repente tenho sangue a sair às golfadas e três enfermeiras em cima de mim. Enquanto umas tentam para a hemorragia, a enfermeira (que fez a asneira) passa para o outro braço, nervosa. Pica uma, duas três, quatro vezes enquanto as outras duas tentam parar a hemorragia. Mas naquele braço não acerta numa única veia. (Creio que no outro acertou numa artéria, mas isso sao outras conversas).

Começo a ficar branco. O sangue sai às golfadas há mais de cinco minutos. O meu corpo desfaz-se em água. A enfermeira desiste e diz-me que estou com mau aspecto. Deita-me.

De repente sonho que estou a voar, a voar para longe. Sinto-me bem, confortável. Aconchegado. Um doce vôo que me leva ao ventre da minha mãe, ao abraço do meu pai, companhia de todos aqueles que amo.
Abro os olhos e vejo uma mulher vestida de enfermeira à minha frente que me segura as pernas. Pergunto-lhe em português, Quem és? Onde estou? Ela sorri e, enquanto começo a recordar o que se passou, diz-me, Desmaiaste.Perdeste muito sangue, mas já está tudo bem.

Fiquei no hospital umas boas duas horas. Dão-me alta. Dizem-me que tenho que regressar quinta-feira para repetir os testes.

Quando estou a sair, diz-me a enfermeira, Estás com um aspecto bem pior do que aquele com que chegaste. Não lhe respondo. Saio ainda tonto, pálido como nunca me tinha visto. Vou para casa.

Em casa está a empregada da limpeza. Não me apetece estar ali com ela. Mudo o fato e a camisa, completamente manchados de sangue sob o olhar incrédulo da Pérola que me limpa a casa. Pergunta-me, Vais sair? Estás com uma cara...

Não tenho côr mas não me apetece estar ali. Saio, apanho o metro e, felizmente, dão-me um lugar para sentar-me. Chego ao escritório de corpo a tremer, suores exagerados que me colam a camisa ao corpo, respondo aos e-mails (uns urgentes, outros nem tanto), ligo à Cila, conto-lhe o sucedido, recebo um telefonema do estaminé do Porto com terríveis novidades.

O estaminé do Porto vai fechar e o meu antigo chefe vai, em princípio, para a rua (não tenho pena dele, porque deve ir bem, pior é o futuro dos meus outros amigos do estaminé).

Regresso a casa. Deixo-me dormir no sofá. Acordo, vejo o Babel que comprei este fim de semana por causa da música do post anterior. Gosto.

Penso no dia que tive, olho os meus braços negros, vejo o meu rosto ainda pálido no espelho. Vejos as notícias de Burma, de Sichuan, do assassinato de ontem à noite em Oxford St, a dois passos de minha casa, e concluo que num dia como o de hoje, o único bom momento foi aquele em que não estive cá. Em que sentia que voava, ainda que esse vôo não fosse real.

I am a bird gerhl now
I've got my heart
Here in my hands now
I've been searching
For my wings some time
I'm gonna be born
Into soon the sky
'Cause I'm a bird gerhl
And the bird gerhls go to heaven
I'm a bird gerhl
And the bird gerhls can fly
Bird gerhls can fly


12 comentários:

geocrusoe disse...

Espero que tu voes mas para a saúde e depressa, adorei o vídeo, a letra, embora me tenha deixado triste.

Diabba disse...

És um queixinhas... pffff, ainda aproveitaste para esvoaçar e visitar a família!

Olha, se ao saires do hospital um pombo te tivesse caganitado na carola... era ainda pior! hihihihihi

Vá, vê lá se a tal senhora não volta a repetir a gracinha nos braços de mais vítimas.

beijo d'enxofre

Pitucha disse...

Espero que estejas melhor.
Beijos

Carlota disse...

Mas que susto!
Espero que não se repita.
Beijola.

Ck in UK disse...

Foi ca um susto pa. Eu nao sei e como nao mataste a bruta da enfermeira....

Lua disse...

Homem...

Juro que estou pálida só por ter lido isto.

Erros todos fazemos mas acertar numa artéria?! Eu que já levei tantas picadas (como tu, parece-me) sei bem que o feito até nem é assim tão mundano! De certeza que o sabes também... Matar a enfermeira não matava mas que lhe mandava calar a quantidade de parvoíces que disse, ai isso mandava!

Espero que estejas mesmo melhor. Que te sintas mais forte.

E lamento pelos teus colegas no Porto. A vida está mesmo complicada para muita, muita gente.

Entre despedimentos, terramotos e medo, o mundo não está bonito neste momento :(

disse...

E ainda assim, bem no meio de tanta coisa horrorosa, ainda conseguiste ter um momento bom...
Beijinhos

Afrika disse...

Meu amigo, custa-me tanto as vezes ler-te assim... espero que continues com forças pra enfrentar o mundo!
Quanto ao emprego, tu sabes bem que neste momento ninguém a nível mundial esta seguro. Só podemos esperar por melhores momentos.

caditonuno disse...

espero que estejas já com o sangue todo outra vez... e com a pica também. lol

ainda deu pra dormires um bocadinho e sonhares, enquanto estavas desmaiado.

amigona avó e a neta princesa disse...

Espero que estejas melhor...bom domingo...beijos...

125_azul disse...

Imagino o braço roxo e dolorido. Imagino o susto. E deixo abraço apertadinho e desejo de melhoras rápidas!
Beijinhos

AEnima disse...

Então? A cor voltou Às bochechas e saiu dos braços? Sabes, quando me acontece cenas dessas gosto de gozar com a situação e andar de manga curta nos transportes para os que vêm os hematomas, fugirem com medo de eu ser drogada e ter alguma doença! ehehehehe

Beijinho, lindo. Come uns bifes e trata-te bem. As melhoras e um abraço.