quinta-feira, 31 de julho de 2008

30 anos

Tenho andado apartado deste canto que tanto prezo.
Há muitos motivos mas nenhum motivo especial. Basicamente ando a aproveitar a vida, os dias longos de Sol e calor, são os espectáculos, o teatro, os concertos, as visitas da Cara-Metade-Mais-Que-Tudo e as visitas à Cara-Metade-Mais-Que-Tudo.

Depois de se perder três semanas de vida fechado (ou visto positivamente, depois de ganhar muitos anos de vida), as ideias organizaram-se e o que estava atrasado, nomeadamente a nível pessoal teve de ser recuperado.

Julho é um mês agri-doce. Não vou falar o porquê do agri porque o “Longo Inverno” já vai longe e o que lá vai, lá vai. Parece que as cambalhotas na minha vida se dão no Verão e se resolvem no Inverno.

Afinal as boas notícias tive-as quase todas durante o Inverno, enquanto o Verão me deu as más.... mas lá estou eu a ir por onde não quero. Não tivesse uma memória de elefante e não me haveria recordado que foi em Julho que começou o "Longo Inverno". E tudo isto porque nesse dia (ou noite) sonhei com ele, um pesadelo, coisa que não se passava há anos. Ao acordar tentei perceber porque é que sonhei com algo que havia passado há catorze anos, olhei para o relógio e vi que fazia exactamente catorze anos que o mundo desabara na minha cabeça... mas como disse, o que lá vai, lá vai e o que interessa é o aqui e hoje e o ali e amanhã.

Faz hoje três semanas, chegou a Cara-Metade-Mais-Que-Tudo. Foi musical, passeio no parque, concerto, museus, cinema (sim que fomos ver o Mamma Mia!), jantares românticos, bares, discoteca... enfim, um fim-de-semana alargado sem descanso e com muito carinho, o carinho de quem não se via há dois meses.

O fim-de-semana passado fui eu a Madrid. Razão especial. A Cara-Metade-Mais-Que-Tudo fazia trinta anos. Foi um fim-de-semana muito bem passado apesar do calor que se fazia sentir na capital espanhola, ainda assim, mais suportável do que o calor que se tem feito sentir na capital inglesa, não pelo valor que se lê nos termómetros da rua, mas pela humidade pegajosa e más condições que esta cidade tem quando as temperaturas andam pelos 30 graus centígrados.

O vôo roubou-nos mais de uma hora... que me venham falar dos atrasos da TAP, eu sofro mais com a British Airways ainda que esta esteja a jogar em casa (talvez por isso).

Cheguei e a Cara-Metade-Mais-Que-Tudo à minha espera. Diz o nome de uma rua desconhecida ao Táxi e vejo-me a percorrer o bairro de "San Bernardo", as ruas estreitas de "Noviciado", ali para os lados do "Conde Duque", bairro encaixado entre os famosos "Gran Via", "Tribunal", "Plaza de Espana" e o famoso "Barrio de Chueca".

Adoro Madrid. Cidade que me acolheu e me fez sentir em casa desde o primeiro dia, que conheço bem e que cada vez que lá vou me faz sentir em casa. E nestas ruelas impregnadas de gente e de vida, o Táxi pára à frente de um hotel pequenino (viria a descobrir que não tinha mais do que quinze quartos, todos com decoração diferente).

Entramos e somos recebidos com um sorriso caloroso pelo dono daquele pequeno hotel boutique metido no coração da capital espanhola. A Cara-Metade-Mais-Que-Tudo abre a porta e em vez do quarto, vejo um pátio interior. O Pátio da nossa suite superior e só nosso. Para lá do pátio o quarto gigante com uma decoração retro (branco e negro) e com um jacuzzi enterrado no solo de xisto preto preparado a borbulhar e com sais. Depois do calor sofrido em Londres, do atraso terrível num aeroporto sem condições (sim, o City Airport é mau para estar à espera) um jacuzzi preparado foi como um presente dos deuses... mas assim foi (e por aqui me deixo ficar neste primeiro dia).

No segundo dia, sábado e véspera do trigésimo aniversário da Cara-Metade-Mais-Que-Tudo passeámos por Madrid, fomos às compras, tentar marcar as férias ao Corte Ingles (mas sem sucesso), e sentávamo-nos cada meia hora num café para deixar os quarenta graus da rua e repôr os líquidos.

Como no ano anterior, fomos comprar roupa nova para usar no jantar e apesar de ser o aniversário da cara-Metade-Mais-Que-Tudo, fui eu que saí com dois pares de calças de presente porque a Cara-Metade-Mais-Que-Tudo se apressou no pagamento (Idiota!).

E assim se passou o dia até à hora do jantar que eu tinha marcado num sítio que não conhecia mas imensamente criticado e aclamado. Estava marcado para as dez.

Às dez lá chegámos. Fomos a pé. O “restaurante” ficava numa ruelazita chamada “Travesía de San Mateo” no “Barrio de Chueca”.
A rua estava deserta e não se percebia um único restaurante na zona e aí é que estava o encanto. A Cara-Metade-Mais-Que-Tudo vê-me dirigir sem hesitações à porta de um antiquário que estava fechado. Toco à campaínha e somos levados por entre antiguidades orientais (algumas bem mais antigas do que a nacionalidade Portuguesa) até uma mesa ao lado de um fabuloso astrolábio, dois contadores e uma cama vietnamita (que custava a módica quantia de cem mil euros) que era um encanto.



Só sete mesas, nem mais, nem menos. Sete mesas é o que se encontra no restaurante "Asiana" de um self-made chefe com direito a estrela Michelin e que serve um único menu degustação de quinze pratos que misturam ingredientes espanhóis com sabores orientais. Confesso que foi o restaurante mais romântico onde já estive, um regalo para os sentidos. Todos! Até aqueles que não conheçemos. A comida soberba, bem apresentada, bem servida, no meio de um ambiente belíssimo, obras de arte de todos os tempos, dos dias de hoje até há dois milénios atrás. E ali, numa mesa escondida entre maravilhas, com uma selecção de pratos e de vinhos de bradar aos céus, passámos a meia-noite e celebrámos o aniversário da Cara-Metade-Mais-Que-Tudo. Uma refeição a dois que durou quatro horas mas que poderia ter durado outras quatro.

Por isso se um dia forem a Madrid com alguém especial já sabem. Desapertem os cordões à bolsa (não é nada barato) e dêem um banho aos sentidos porque é por coisas assim que vale a pena abrir os cordões à bolsa.

E a beleza do sítio, o aroma das especiarias misturado com o das madeiras antigas, a música suave, a textura e os sabores da comida ficarão gravados por muitos tempos.

E acima de tudo sei que a cara-Metade-Mais-Que-Tudo adorou e esteve feliz no dia em que entrou na sua terceira década. O brilho dos olhos não engana.


E eu feliz por ver a Cara-Metade-Mais-Que-Tudo assim feliz.

21 comentários:

Ck in UK disse...

tcha tchararara, tach tcha tchararara

love is in the air, everywhere i walk around......

pinguim disse...

Londres/Madrid, é o teu eixo da felicidade, de um amor à distância sempre dificil, mas superável quando se gosta mesmo...
O meu eixo é Lisboa/Belgrado, com incursões a outros mundos (foi Londres, será agora Itália), mas o sentimento deverá ser semelhante e as saudades também...
Felicidades para vocês; abraços.

O restaurante é um "must"...

Anónimo disse...

Depois de longa ausencia, as noticias são uma maravilha,senti quase os cheiros, os sabores a música, tão bem explicado estava este jantar.Um beijinho e que a tua vida seja sempre assim, apesar de tudo.Muita saúde para os dois, para curtirem esse amor. FIFI

caditonuno disse...

ao princípio vi um texto enorme. fui lendo, lendo e nem dei pelos poucos minutos perdidos. muito bem.

em relaçao ao preço do restaurante, diria aí uns 100 euros prós dois (a refeiçao mais cara que fiz a dois foram 70€ e fiquei quase com fome). salvou-se o panacotta!

bem aproveitado esse fim-de-semana alargado, melões! abraço e goza a vida.

Diabba disse...

Bein... tás perdoado!

Sabias que me enervas um bocadinho?

beijo d'enxofre

Anónimo disse...

parabens a cara metade e um beijo grande para os dois

Músico Guerreiro aka Melões disse...

CK - ai pois anda!
Beijos

Pinguim - de certeza que sim, mas e assim mesmo, quando se ama, ama-se!
O restaurante e mesmo um "must"
Abraco

FiFi - Obrigado. Foi realmente um bom momento.
Beijos.

Caditonuno - ainda bem que nao te assustaste com o tamanho do texto. Ja o preco, o que dizes nao chega para um, e isso sim e um susto! Mas uma vez vale a pena. Ah, e saimos de la sem fome.
Abraco

Diabba - enervo-te? porque?
Beijos

Anonimo - Obrigado, mas para a proxima identifica-te. Gosto de saber com que falo.

geocrusoe disse...

Começava a ficar preocupado com as ausências, sou daqueles cujo Verão não fomenta actividades bloguisticas... mas lá vou aparecendo e aqui nada... até que se fez luz e uma grande luz, ainda bem que o motivo foi tão bom!
Sê feliz! Não é pedir muito pois não?

Angel Bello disse...

Muito legal, gostei muito do post. Eu to comencando um relacionamento com um cara de NYC, estamos longe pois eu moro en El Savaor, no Sabado 2 ele vem me visitar e pasar uma semana conmigo. Vai ser uma das melhores semanas tenho certeza.

Wask disse...

Madrid realmente tem recantos que arrebatam a respiracao a qualquer um.. uma cidade muito especial, realmente!!
ainda bem que ela (e tu, claro) esteve feliz!

Carlota disse...

Que belos dias!
É aproveitá-los.
Beijola.

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Geocrusoe - acima de tudo e uma preguica gigantesca de escrever, vou lendo mas em silencio.
Abraco

Angel Bello - Obrigado! ou devo dizer: Gracias! Seguro que sera una smana genial. Que lo pases muy bien y que sean muy felices.
Abrazo

Wask - das cidades onde vive, provavelmente foi Madrid a que me arrebatou. Talvez pelas muitas emocoes boas que la passei.
Abraco

Carlota - entao nao? aproveita assim bem as ferias.
"Beijola"

AnAndrade disse...

Parabéns à cara-metade-mais-que-tudo. E a ti, por o teres encontrado!
Beijo.

Paulo disse...

tão bons motivos justificam qualquer ausência! a tua cara-metade-mais-que-tudo merece toda a tua dedicação! arrumar o longo inverno também me parece muito positivo, por muito que o aniversário desse facto te perturbe os sonhos. o que passou passou. avante, um passo adiante para poderes desfrutar do teu verão na devida e mais que merecida proporção.
com a descrição do jantar Asiana, ficou-me o sorriso estúpido na cara por vos pressentir felizes. fantástico. e parabéns atrasados à cara-metade-mais-que-tudo!
grande abraço

papagueno disse...

os meus parabéns à Cara-Metade-Mais-Que-Tudo e a ti também por todo esse romântismo.
Um abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Sejam felizes meu amigo...TUDO, TUDO de bom...beijos...

Lua disse...

Ora, esse é um restaurante ao qual quero mesmo ir! Obrigada por partilhares.

Quanto ao resto... é bom ler-te feliz :)

Músico Guerreiro aka Melões disse...

AnAndrade - Encontrar a Cara Metade foi a melhor coisa que me pode acontecer nos ultimos anos.
Beijos

Paulo - O jantar e esse dia foram muito bonitos. Devemos ter andado os dois todo o dia com esse sorriso estupido na cara.
Abraco

Papagueno - Obrigado. Abraco.

Amigona - Obrigado e beijos para ti tambem.

Lua - esse restaurante e defacto algo especial.
Beijos

calamity jane disse...

Talvez não acredites mas tenho-te visitado. Sei q estiveste no hospital, chorei e ri ctg, simplesmente não fui capaz de deixar rasto. A reviravolta tem estado dificil de se completar. Mais do que eu pensava. Mas vai lá. Porque o que tem de ser tem muita força. Claro q na praia não há computadores mas se o houvesse em casa já teria desatado um dos nós. Mas, claro, a praia desata outros, tão ou mais importantes.

30 anos! humpf! Ninguém tem 30 anos!
Que bom que estás feliz e a CAra-metade tb! Fico feliz por vós. Espero ter em breve oportunidade de te dar uma beijoca pessoalmente. Entretanto recebe esta "virtual" :-)

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Calamity - Bons olhos te vejam (bons olhos sendo os meus, claro esta!). Acredito perfeitamente que tens andado por ca, so nao gosto e de longos silencios. E desata os nos todinhos que e o que os inumeros e incontaveis esperam de ti.

Vens ca dar-me essa beijoca, e?
Beijos

ana v. disse...

Tenho estado por aqui a ler-te, com toda a calma como ainda não tinha feito.
Vejo que não és de lamechices (nem eu!) por isso te direi só que me comoveste. Porque me comove sempre o pudor, a classe e a subtileza com que alguém fala da dor. Da sua e da alheia. Parabéns, não é para todos.
Abraço