quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Silêncio

O silêncio não é ausência. Talvez a melhor música se faça ouvir nos silêncios com o tempo para respirar. Tempo para olhar à volta e tentar ver o mundo, belo e único.

Os tempos que correm são tempos de ruído e nós, facilmente, deixamo-nos envolver e tragar pelo descontentamento. Perdemos a noção de que não ouvimos o silêncio há muito tempo, e que, como bem pintou David Lynch no seu filme Mulholland Drive, tudo não passa de uma encenação exagerada.

Às vezes precisamos de pausas, como a ida ao Clube Silencio, para separar o trigo do joio e entender o que realmente somos e o que se passa. A vida ensinou-me que não devemos fazer planos. Ensinou-me que Deus, se existe, rir-se-á dos planos que fazemos. Mas ensinou-me a ouvir o sil^encio e nele discernir a verdade, a que interessa, e nessa calma tomar as decisões que se tornaram pontos charneira na minha vida.

Não vou dizer-vos o que me preocupa, não interessa e só o tempo pode resolver, também não interessa os probleminhas mundanos e há que saber fazer uma festa de um frigorífico que avaria com a arca cheia de comida. É que de repente o inconveniente torna-se num motivo para sorrir, numa festa não planeada e deixada ao acaso.

Há muitos anos só havia ruído, e sem silêncio não há música, já o disse. No meio de tanto ruído, fiz planos. Hoje, não sei se Deus se ri dos planos que fiz, eu rio-me. Na altura disse-me que não me deixaria levar por uma e para uma relação, e hoje faz quatro anos que um olhar trocado em silêncio cresceu e amadureceu. Hoje celebramos quatro anos em conjunto.

É a velha história da árvore que já usei no passado, aquela que diz que “uma árvore cai com um enorme estrondo enquanto milhares nascem em silêncio”. E quando não cai uma árvore, mas duas, ou três, ou quatro,... quando somos inundados por más notícias nos meios de comunicação, no trabalho, na rua, nas conversas com amigos, ensurdecemos e em vez de ouvir o silêncio, transformamo-nos no silêncio eterno e não na música que se pode tocar ou ouvir.

Assusto-me às vezes com o ruído mas felizmente passo-lhe a perna. Concentro-me nas coisas boas, nos quatro anos que celebramos hoje, no sonho futuro que corre bem, num mundo um bocadinho menos ganancioso e certamente menos racista.

Além dos quatro anos que celebro, descubro no meio de toda a confusão notícias de esperança. Esperança para as minhas crianças e para milhares de pessoas pelo mundo fora. E os meus dias bons, os quatro anos não planeados, um sonho que caminha, tornam-se em esperança. Porque no silêncio ainda consigo descobrir notícias como esta.

Afinal há sempre gente boa, há sempre coisas boas, um trabalho não é tão importante como uma relação, um salário não vale uma entrega, uma crise não vale uma cura, o ruído, aquele onde tudo é falso, onde tudo é fabricado não vale o silêncio do amor.

O que vale a pena é ouvir o silêncio e descobrir a nossa verdade.


11 comentários:

Boo disse...

Eu sabia que ias por esta musica, assim que comecei a ler o post...E linda nao e? E diz tanto....

pinguim disse...

Que belo post sobre "silêncios" e as suas benesses... entre as quais há a registar uma muito importante, acontecida há 4 anos atrás; parabéns pela data, Amigo.
Abraços.

Argonauta disse...

Que post fantástico. É como a sobremesa, vale a pena esperar um bocadinho!

Parabéns pela data,
Um grande abraço!

geocrusoe disse...

Sabia-te silenciosamente escutando, espreitando, pensando... por isso esperei que algo mais profundo viesse, não me enganei.
Sim, precisamos de silêncios, sobretudo de não deixar que o ruído do mundo impeça os nossos silêncios para ouvirmos a nossa música.
Parabéns pela caminhada de 4 anos onde a consonância das vossas harmonias tem alimentado esperanças, suavizado mágoas e permitido silêncios na busca das vossas verdades.

Diabba disse...

Tenho saudades tuas. (momento lamechas mode)

Vá, beijos para ti e para a cara-metade-mais-que-tudo!

enxofre

calamity jane disse...

Olha, é como diz a diabba... :-)
(Claro que ainda fazes parte dos inúmeros e incontáveis! Quero dizer,espero eu!). Não fiques em silêncio tanto tempo, que as tuas palavras valem ouro

AEnima disse...

Parabens pelos 4 anos, pelas excelentes noticias e por, nos teus silencios, transmitires tanta coisa bonita.

Beijinho

Deda disse...

Obrigada pela conversa agradavel, pelos chouricos e pelos mini-toblerones!

amigona avó e a neta princesa disse...

Vim ler-te meu amigo...vim matar as saudades mesmo que seja por breves instantes...deixo-te um abraço...

Mad disse...

O post é fantástico, a música também e a notícia nem se fala. Parabéns não sei porquê, mas parabéns à mesma, porque é obviamente uma boa data para ti.
Beijinhos.

ana v. disse...

Parabéns e um beijo, porque mereces ambos com certeza. :-)