terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Os Anormais


Há uma classe que cresce em tempos de crise. É a classe dos anormais. Gente que pensa com os pés e se acha dona da razão.

Hoje tive de lidar com este grupo.

À hora do almoço, um destes grupos plantou-se à porta do estaminé a gritar: “People against the bankers!”. Não levavam cartazes mas sacos e baldes cheios de neve que depois de um dia de sol e temperaturas negativas, se tinha transformado em pedaços de gelo.

Ora, os anormais, é deles que quero falar porque pensam com os pés, e como pensar com os pés não é normal, decidi baptizá-los de anormais.

Pois este grupo plantado à frente do estaminé decidiu agredir toda a gente que saía ou entrava do edifício com pedras de gelo. Muita gente decidiu não sair do edifício mas não era uma centena de anormais que me ia fazer ficar fechado dentro do estaminé e não poder almoçar. Além dos cerca de cem anormais, havia uma vintena da polícia do bairro, a Met.

Saio e levo com uma destas pedras de gelo na cara, pescoço e orelha... não me magoou mas podia ter magoado. Tudo isto sob o olhar atento da polícia e sob as câmaras dos media.

Se os anormais têm o direito de se manistar, eu tenho o direito de entrar e sair do meu estaminé em segurança. E azar, vi o anormal que me atirou com o gelo. Fui ter com uma polícia da Met que ali se encontrava e apresentei queixa, pedindo que identificasse o anormal. Quando o anormal me vê a apontar o dedo, aproxima-se e diz: “- vocês andam a brincar com o nosso dinheiro!”

E o anormal, o que pensa com os pés ouviu: “ - Se estás tão preocupado com a crise, em vez de estares aqui a cometer um crime punível por lei, deverias estar a trabalhar e a gerar riqueza para o país. E quanto a brincar com o dinheiro, estás a desperdiçar o meu dinheiro que paguei em impostos ao criar a necessidade de ter a polícia aqui a defender o edifício do estaminé e os trabalhadores.”

O anormal deve pensar que somos nós que vivemos dos benefícios do Estado como ele, e que estamos com excelente ambiente de trabalho, todos ricos. Que não vimos amigos e colegas a perder o emprego e que temos o emprego assegurado. É o que digo, os anormais pensam com os pés.

A mulher polícia não quis tomar nota da queixa e quando um colega do estaminé mandou com um balde de gelo para cima dos anormais, a polícia mexeu-se finalmente, mas, incrivelmente, para agarrar o meu colega e metê-lo dentro do edifício.

Até deixaria as coisas por aqui, mas a passividade da mulher irritou-me e quando me viram do avesso, vêem o meu outro lado, não o daquele homem calmo e pacífico, que desculpa tudo e todos.

Apresentei queixa aos recursos humanos e pedi acesso às imagens da câmara de segurança. O estaminé disponibilizou-me um advogado e com as provas do crime fomos à polícia apresentar queixa. O sujeito foi identificado e a mulher polícia também. Pedi três mil libras ao anormal que, ou paga, ou fica com um criminal record e obrigado a fazer 3 meses de trabalho social.
Agora sim, posso dizer ao anormal: “ - e agora quem é que brinca com o dinheiro de quem?”

23 comentários:

AEnima disse...

Boa!

E pelo que vejo de ti eras menino para gastar o $ com os teus meninos ou coisa que o valha.

Temos a mania de julgar o proximo por nos. Quem nao tem massa cinzenta, devia ser mais pacifico, ou ainda paga pela sua estupidez...

Beijinho

(eheheh... com risinho orgulhoso)

pinguim disse...

É deste calibre de gente que os "anormais" precisam.
É quase a aplicação daquele velho dito bem português: vai gozando, até encontrares um "filho de uma velha"...
Abraço bem merecido.

Lua disse...

Boa. Muito bem mesmo.

Já é tempo destes anormais aprenderem que o mundo não lhes deve nada, muitos menos o estado e os que dão o litro.

Só espero é que não fiques desiludido com o decorrer da investigação. O anormal foi condenadado a algo mas o que é que vai acontecer à mulher polícia?

calamity jane disse...

Caso para dizer 'O Melão mostra a sua raça'... heheheh
(oubelá, irrita-te chegar ao tasco e não ter nada pra ler?!! o que direi eu aqui no meloal semanas inteiras a deparar com as mesmas postas - ou talhadas, sei lá! Hein????)
beijoca

geocrusoe disse...

infelizmente que o nosso mundo cresceu com a injustiça, tira proveito dos anormais para sustentar mais injustiças e a crise (que nasceu sobretudo de injustiças) alimenta novas injustiças...uma bola de neve menos bela que a do post anterior, receio apenas que a procisão ainda vá no adro (como se costuma dizer por cá)

Argonauta disse...

Admiro-te por teres tido a destreza mental para resolver as coisas de maneira tão correcta...eu acho que teria perdido a cabeça, e atirado com um monte de pedras aos anormais! Mas no fim...se calhar era isso que esperavam que fizesses para se vitimizarem perante as câmaras. Tiveste muito bem...

Wask disse...

ja eh tempo de se perceber que esses gajos sao "reclamadores profissionais"! Estiveste muito bem e espero que o anormal aprenda a ir para o Job Center em vez de ir brincar aos protestos.

Um grande abraço!!

Ck in UK disse...

Oh pa francamente. este pessoal anda todo louco. E os media ainda andam a aticar o pessoal, ta tudo contra os bancos, mas tao a pensar com os pes.
fizeste mesmo muito bem. As vezes seguir os principios da mais trabalho (ir a policia e tal), mas vale mesmo a pena. Anormais.

Pitucha disse...

Grande Melão! É assim mesmo!
Beijos

Carlota disse...

Valeu! Isso é o que se chama 'o tratamento adequado'.
Gostava de, depois, saber o resultado.

Chiara Luna disse...

Vim aqui para deixar um abraço e vejo este post.
Agiste muito bem.
Fica um abraço sem gelo.
Envio um farnel de sol.

Diabba disse...

Ahhhh Dragão!! (num digo Leão num vás tu fazer ligações clubisticas, fazendo-as sp ficarás mais satisfeito ko dragão)

E não prescindas, ou paga as 3.000£ (que eu sei que entregarás para boas obras - não é que eu concorde hihihihihi) ou então fará trabalho comunitário... e poderia ser junto dos teus meninos, sp poderias ir fiscalizando o serviço... isso é que era justiça!

beijo d'enxofre

Mad disse...

E a mulher polícia, não era obrigada a registar a queixa? Isso seria o cabo dos trabalhos, mas já agora ficava com uma mancha na folha de serviço, ou coisa que o valha.

Boa.

caditonuno disse...

pareces quase o BARACK, "yes, we can"!

gostei da tua atitude. se ficares com o dinheiro, nao te esqueças de comprar uma prenda bonita à tua espanholita!

amigona avó e a neta princesa disse...

Gostei! Beijos, amigo...

Kapitão Kaus disse...

Fizeste muito bem!

Abraço:)

Mocho Falante disse...

Ora nem mais! E deviam ter todos a mesma atitude!

DAqui o meu aplauso de pé

Um abraço

Actriz Principal disse...

Lindo! Lindo! Liiiiiiiiiiiindo!
Beijo

Nokenicus disse...

Hola, pasando a saludar y tambien para invitarte a que pases y veas mi blog a ver si encuentras algo de tu agrado y si te gusta intercambiemos enlaces, una suerte de fucionar dendritas o algo asi diria yo,je.
Saludos y hasta la proxima.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

LISBOA = PORTUGAL

Olá Caro Melão

... de Londres? Julguei que fosses de Almeirim. Casca de carvalho? Adoro todos que não saiam pepinos... Estou contigo, novo Amigo.

Cheguei aqui – e gostei. Um bom blogue. Muitos parabéns. Vou voltar e, se possível, seguir. Já me alistei no teu batalhão. Se quiseres fazer o mesmo – e os teus correspondentes também – muito agradeço. Estou a «coleccionar», com muito boa intenção, muito prazer e muita honra, Seguidores. A Diabba não gostou. Então, que ponha na beirinha do prato...

Hoje, porem, quero informar-te que tenho postada no meu blogue a história macabra de um tiro que deram no meu neto número dois, o Rodrigo que vai a caminho dos 13 nos. Boa praça. Permito-me fazê-lo para alertar as pessoas e tentar evitar que lhes sucedam estórias inqualificáveis como esta. Desculpa-me a chatice, mas é com boa intenção, como compreenderás.

Na quarta-feira 17, ele ia a sair da escola pelas quase três da tarde. Uma ferrada. Fora um chumbo de um tiro de pistola de ar. Ambulância, hospital, radiografia, depois uma TAC, tinha o pequeno projéctil alojado no lado esquerdo do pescoço. Os médicos decidiram não o operar, pois que a posição do projéctil não aconselhava a intervenção. Estava – e está – muito próximo da jugular. Felizmente, o Rodas agora está bem. E dizem que foi uma «brincadeira» de Carnaval. Estúpida e criminosa, digo eu.

Abs = abraços

PS (Sou, mas aqui é só Post Scriptum...) – Este é um texto padrão, com as óbvias e necessárias adaptações. Espero que compreendas. Obrigado

Anónimo disse...

Melão, olá! Andei por aqui às voltas, a ler-te e a seguir-te os links, e pensei: se todos escrevessem assim eu lia com mais gosto - ultimamente tudo me chateia, acreditas? A carta ao teu pai e os teus desabafos sobre o 24 de Janeiro, caramba, fizeram-me desenhar-te mentalmente! Olha, não sei por que te digo isto, sei que adorei estar aqui a espiar-te a sensibilidade e a identificar-me com tanta coisa! Parabéns, não sei se é isto que devo dizer-te, mas fica dito! Parabéns por tudo, para guardares ou deitares fora: pela alma, pelo talento, por tudo aquilo que te distingue dos animais em que todos nos tornámos, e também, já agora, dos verdadeiros melões -ri-te! Abraço alegre e inveja dessa Londres branca, in spite of snow balls . Rita Ferro

Anónimo disse...

Melão, olá! Andei por aqui às voltas, a ler-te e a seguir-te os links, e pensei: se todos escrevessem assim eu lia com mais gosto - ultimamente tudo me chateia, acreditas? A carta ao teu pai e os teus desabafos sobre o 24 de Janeiro, caramba, fizeram-me desenhar-te mentalmente! Olha, não sei por que te digo isto, sei que adorei estar aqui a espiar-te a sensibilidade e a identificar-me com tanta coisa! Parabéns, não sei se é isto que devo dizer-te, mas fica dito! Parabéns por tudo, para guardares ou deitares fora: pela alma, pelo talento, por tudo aquilo que te distingue dos animais em que todos nos tornámos, e também, já agora, dos verdadeiros melões -ri-te! Abraço alegre e inveja dessa Londres branca, in spite of snow balls . Rita Ferro

Anónimo disse...

Melão, olá! Andei por aqui às voltas, a ler-te e a seguir-te os links, e pensei: se todos escrevessem assim eu lia com mais gosto - ultimamente tudo me chateia, acreditas? A carta ao teu pai e os teus desabafos sobre o 24 de Janeiro, caramba, fizeram-me desenhar-te mentalmente! Olha, não sei por que te digo isto, sei que adorei estar aqui a espiar-te a sensibilidade e a identificar-me com tanta coisa! Parabéns, não sei se é isto que devo dizer-te, mas fica dito! Parabéns por tudo, para guardares ou deitares fora: pela alma, pelo talento, por tudo aquilo que te distingue dos animais em que todos nos tornámos, e também, já agora, dos verdadeiros melões -ri-te! Abraço alegre e inveja dessa Londres branca, in spite of snow balls . Rita Ferro