sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Preconceitos

Em Portugal os pais estão chocados porque, ao que parece, parece porque não é, um livro foi posto à venda com uma capa pornográfica.

No Reino Unido os pais estão chocados porque uma apresentadora da CBBC (para crianças) não tem um braço e porque alguns infantários e escolas primárias decidiram juntar aos seus livros de contos, contos em que há crianças com dois pais, ou duas mães, ou há dois homens que se juntam e vivem “happily ever after”.

Sentado à frente do meu computador estou eu, chocado. Chocado com os pais. Com aqueles que usam os filhos como armadura, defesa que esconde preconceitos contra uma parte do corpo humano, uma deficiência ou uma orientação sexual diferente. Porque as crianças, como diz a Carlota, não se tranformam em monstros por contactarem com a realidade. Porque a realidade é que uma criança, e quanto mais pequena melhor, aceita sem julgamentos a diversidade do mundo, a natureza, como aceita as formas e as cores.

E se a criança pergunta porque é que uma apresentadora não tem um braço e a resposta é honesta, não vai ter pesadelos com papões mutilados, e se pergunta porque é que um colega da escola tem dois pais ou duas mães e a resposta é honesta, não alterará a sua futura orientação sexual, e se pergunta o que é aquela coisa cheia de pêlos na capa do livro exposto no escaparate da livraria da esquina e a resposta é honesta, não se vai tornar num psicopata perverso e sexomaníaco.

Mas se a criança repara (porque as crianças reparam em tudo) nestas e noutras coisas naturais da nossa sociedade e pergunta e não tem resposta, ou se é isolada da riqueza da diversidade que existe ao seu redor, então achará que há algo errado numa pessoa com alguma deficiência, no corpo adulto de uma mulher, ou no colega que tem dois pais.

Repugnante não é o que se condena, é esconder o que se condena com a inocência e ligeireza com que as crianças vêem o mundo.

É pena não nos deixarmos ensinar pelos preconceitos de quem não os tem. E são muito mais felizes!
PS – este texto já foi escrito há três dias e por isso alguns dos acontecimentos estão desactualizados. Apesar de tudo a mensagem que quero passar, a minha opinião mantém-se e por isso decidi não alterá-lo

22 comentários:

Arsène Lupin disse...

Já dizia o meu avô na sua eterna sabedoria que só os velhos que já nasceram velhos possuem: "Quem não tem vergonha não tem preconceitos"

Belíssimo este texto e tão, mas tão verdadeiro.

Um abraço.

Mad disse...

Clap clap clap.

Quanto ao teu comentário lá o Juro, já respondi.

Beijinhos e desculpa-me por generalizar.

Paulo disse...

Aplausos.

Diabba disse...

Sabes que ainda há muita estrada para percorrer, e quer-me cá parecer que a geração dos 18 anos actuais tem a cabeça do meu trisavô (que não conheci).

Comprei o filme "o segredo de Brokeback Mountain" (1,95€ baratíssimo, que eu sou forreta), sabes o comentário do escravo mais velho?
"ahhh esse filme... um rapaz não pode ver isso sózinho, porque se é apanhado (este apanhado, deve ser por algum colega que lhe apontaria o dedo acusador) é uma vergonha"

Fiquei a olhar apática, não é esta a educação que lhe dou, tu sabes que não é!

Ai ai

enxofre

AnaD/FG disse...

Usamos crianças como escudos ... e fazemos-os reféns dos nossos preconceitos.

Lua disse...

"Repugnante não é o que se condena, é esconder o que se condena com a inocência e ligeireza com que as crianças vêem o mundo."

Isto descreve tudo. Devias receber loyalties por isto, sabes?

pinguim disse...

Belíssimo...
Parabéns!
Abraço.

AEnima disse...

Infelizmente meloes, quer-me parecer que a nossa geracao eh de facto a mais mente aberta. Ja os jovens apenas 10 anos mais novos que nos me parecem bastante mais socialmente irresponsaveis.

Parece-me que nos nossos tempos de liceu, nos eramos mais activistas e intervencionistas. Hoje em dia so querem saber de umas ganzas, telemoveis, internet, e que os deixem com as suas neuras em paz.

Talvez esta seja uma visao muito enviesada, de quem ja passou essa fase e evoluiu para algo melhor. Talvez a nossa geracao no liceu era tao ma ou pior que a actual... mas tenho um medo terrivel que nao.

Istao eh sem duvida fruto de uma socidade facilistista e sem grandes preocupacoes politicas, yuppies dos anos 80 que hoje sao pais. Talvez esta crise economica que nos afecta, que esta para durar e nos transformara, criara em nos uma mentalidade mais prospera e sustentavel que passemos aos nossos filhos.

AnAndrade disse...

Enerva, destempera, desaustina.
E não é o nosso país, não é país nenhum, é o ser humano em geral.
Parabéns pelo texto.
Beijos.

escarlate.due disse...

tenho o livro e aconselho a leitura!
especialmente a esses papás que, quem sabe, talvez conseguissem aprender alguma coisinha de jeito como por ex capacidade de educar/ensinar uma criança

geocrusoe disse...

Apesar de há dois mil anos Alguém ensinar que o que torna o homem impuro não é o que entra mas o que sai do seu coração, ainda hoje muitos dos que se dizem seus seguidores amarram-se a preconceitos e vêm mal na arte e na vida daqueles que simplesmente são diferentes por motivos que nem escolheram.
Preocupa-me que em portugal nos últimos tempos tenham aumentado a divulgação de casos de pretensas censuras, não se se porque as pessoas passaram a denunciar mais estes casos ou se a censura está a voltar.

calamity jane disse...

A Cat do 100nada escreveu uma excelente posta sobre a referida polémica do livro. Na minha opinião não passa tudo de faits-divers, coisinhas pequeninas feitas para distrair o povinho daquilo que realmente importa. O que é grave. Pois nestas alturas, em que está tudo em pânico com o amanhã, é que se fazem passar mensagens perigosas que o povinho compra sem pestanejar. Do tipo 'aquele preto ou brasileiro está aqui para me roubar o emprego'. Ou 'aqueles paneleiros vão corromper os meus filhos' (desculpa a crueza da linguagem)
É nessas alturas q as ditaduras se instalam. Que o ódio se espalha, como uma doença altamente contagiosa.
Não concordo contigo, AEnima. Acho q não há uma geração verdadeiramente revolucionária há muitos, muitos anos. E mesmo essa é ver no que se tornou!..
Qt aos putos, muitos deles escapam a essa descrição, felizmente. Têm ideias na cabeça. Não nascem preconceituosos, longe disso! Ambos os meus sempre olharam para a homosexualidade, por exemplo, com a naturalidade com que olham para qualquer outra coisa. É pura e simplesmente uma pessoa que gosta de outra pessoa. E olha q o puto tem 11 anos, uma idade muitas vezes algo parva...

Carlota disse...

Gostei do teu texto e estou de acordo com ele.
A propósito do link, o que tem mais piada no meio disto tudo é que eu, por acaso (e como toda a gente, acho), até tenho alguns preconceitos. Mas a verdade é que faço um esforço por não os transmitir ao meu filho, porque ele não deve ser a minha fotocópia. Tem de ser a minha evolução. E uma criança não pode desenvolver-se se não souber apreciar a realidade e ser livre para escolher, pelo que não vale a pena esconder-lhe as coisas (bem, algumas vou contornando porque, afinal, ele ainda só tem seis anos). E se não for eu a mostrar-lhe o que se passa à volta dele e a explicar-lhe o mundo, ele vai acabar por dar de caras com ele na mesma e, se calhar, pode não ter ao lado a pessoa certa para lhe ensinar o que ele precisa de aprender...
É assim que eu tento ir vivendo o melhor que sei.
Xi-co.

AEnima disse...

cj - eu nao disse que achava a nossa geracao revolucionaria. Nada parecidao. Estragada com mimo e $ e' mais isso. Simplesmente me parece ter sido na juventude um pouco mais socialmente activa. Mas acho que isto eh um preconceito meu, porque vivi a dec de 90 como jovem e por isso me parece que eramos melhores do que realmente somos. E com tudo o que disse (e muito mal) esqueci o importante... que as criancas sao moldadas pelos adultos, porque como o Meloes aponta e muito bem, eles sao inocentes e aceitam tudo o que vem como natural e simples. Se lhes incutimos valores preconceituosos, fruto dos nossos medos, e' em adultos preconceituosos que vao dar no futuro, infelizmente.

Beijinhos

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Arsene - pois e ter vergonha de que?
abraco

Mad - Ja vi e ja respondi. Beijos

Paulo - Obrigado pelos aplausos. Infelzimente este tipo de opiniao ainda parace ser motivo de aplausos.
Abraco

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Diabba - sei que nao e mas a educacao nao vem so de casa mas da casa dos outros.
Beijo

AnaD/FG - e isso e criminoso! beijo

Lua - nao preciso de royalties por isso se bem que no futuro possam fazer falta :)
Beijo

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Pinguim - nao e belissimo e verdadeiro. E o que reflecte nada tem de belo.
Abraco

Aenima - sao os pais que fazem a geracao dos filhos sem duvida. Por isso e natural que as geracoes andem em ciclos em relacao a estas coisas mas sempro num sentido de melhorar.
Em relacao a esta crise, deposito nela algumas esperancas no sentido de resolver muitos problemas em termos de prioridades.
Beijo.

AnAndrade - Chateia e muito.
beijos

Músico Guerreiro aka Melões disse...

escarlate.due - acho que esses papas nao entenderiam o livro. se o julgaram como julgaram, talvez se fechassem na casa de banho com ele!
beijo

Geocrusoe - A pretensa censura em Portugal esta a tornar-se de facto preocupante. O mesmo alguem de que falas fez-nos livres na nossa forma de pensar e decidir. e triste quando outros enviesam essa nossa fabulosa caracteristica.
Abraco

CJ - concordo plenamente. o que se faz hoje em ve de ajudar a resolver esta a criar uma crise social ao lado da economica. das outras vezes a historia acabou muito mal. Espero que desta vez tenhamos aprendido com os erros do inicio e do meio do seculo XX.
Beijo

Músico Guerreiro aka Melões disse...

Carlota - Ainda bem que estas de acordo. Nao me posso dar ao luxo de um processo em cima!
Preconceitos temos todos, se nao sao negativos sao negativos. Lembro-me perfeitamente na minha adolescencia que conheci uma menina que andava numa cadeira de rodas. Gostava muito dela mas nao lhe falava e escapava-me. Tinha pena dela e nao queria que ela o notasse. Ainda hoje, se bem que melhor, quando conheco ou encontro alguem deficiente tenho medo. medo de que o meu comportamento me atraicoe pois quero que a pessoa se sinta integrada e por isso posso exagerar e fazer com que a pessoa note... ainda tendo a distanciar-me... e isso e preconceito.
Beijo

Mocho Falante disse...

e daqui brindo a teu este brilhante texto, cheio de verdade e sensiblidade...parabens!

Aquele abraço

Estreliña disse...

Parabens por este, e por todos os textos que acabei de ler (na diagonal)! Mas prometo que quando tenha mais tempo, vou apreciar melhor a tua escrita.

;)

Ck in UK disse...

cabotinos!
a rapariga da bbc foi pra mim um choque. li op artigo 3 vezes no times pq nao consegui acreditar da primeira vez. Esta gente anda drogada ou que? Pior ainda, esta gente nao entende como esta a educar o Mundo? e q um ate se pode dar ao direito de ser estupido, mas nao tem o direito de contagiar geracoes futuras.
Morcoes.