quarta-feira, 29 de abril de 2009

...

Palavras leva-as o vento. Pensamentos também. É preciso agir, fazer. A chamada à realidade é presente, aqui, agora.

Sim, podemos afundar-nos num mundo de mágoa mas isso não nos leva a lado nenhum. Fechados num egoísmo surdo, ignoramos a chamada.

Está sol, vem aí uma criança, está quase! A mão estendida está à nossa frente, à esquerda, à direita, atrás de nós para nos amparar na queda, uma floresta de mãos que vêm não se sabe de onde e afastam aquelas que nos empurram. Uma floresta que floresce nesta primavera em que o vento tenta afastar os pensamentos. Pensamentos são só isso, pensamentos.

Embriagado pelos fantasmas guardados no peito, perdemos a percepção das coisas. Não ouvimos a chamada. Queixumes são inúteis, são palavras que como pensamentos, leva-os o vento.

O corpo ressente-se das horas sem dormir, o coração dispara, acelera arritmadamente e a visão desvanece-se, mais uma vez esvai-se. Então a chamada agudiza-se, torna-se omnipresente e impossível de ignorar. Idiota! Fechado em problemas que existem dentro de ti, que te enviesam o olhar de forma a que vejas o que queres, o que dizes que não queres. Idiota, não te queixes! Onde está esse guerreiro, afinal?

A cidade à noite, mais escura, porque o corpo se recusa a ver, obriga a abrir os outros sentidos. Já me conheço bem, estar ali, no meio de outra gente, leva-me a relativizar tudo e vejo o guerreiro acordar. Esqueço-me do mal que me afecta, falo, estendo a mão que não é mais do que estender-me a mão.

Acredito! A bondade das pessoas que desconheço, a entrega, o despreendimento, as chamadas que ficaram por atender, as mensagens que ficaram por responder... A visão regressa e cada vez mais me convenço do poder destrutivo ou construtivo dos pensamentos. Cada vez mais acredito que ao querer muito, ao desejar o impossível, este se torna passível de se tornar real.

E o que é real é que o mundo é belo e tenho todo o direito de ser feliz. Com distância, com problemas, mas sobretudo com amigos e amor. Tenho o direito de ser feliz, nem que dure um só instante.

6 comentários:

Anónimo disse...

ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA. Ainda bem. Já volto FIFI

Daniel Silva (Lobinho) disse...

És muito bonito, sabias?

Abreijos *

pinguim disse...

Todos nós temos direito a ser felizes e o facto de dizeres que o mundo é belo, é um bom sintoma disso mesmo.
Abraço.

Carlos disse...

Caríssimo, já agora envio-te um grande abraço, mais um para te ajudar tb a ver realmente que o mundo é belo, como tu dizes.
Ainda em relação ao teu post do Adagio, conheces com certeza Tomaso Albinoni - Oboe Concerto in D Minor? Também é muito bonito.

Argonauta disse...

Isto pode parecer ridículo, mas no tempo que vivia na cidade grande, perdia as forças e ficava assim...amorfo, parava e relembrava-me a mim próprio tudo o que esperavam de mim. O que esperava a minha mãe, os meus irmãos e o que eu esperava de mim próprio também. Entre chuva e vento, lá me ia encontrando aos poucos. Às vezes, ainda sinto saudades desses reencontros comigo mesmo...

Kapitão Kaus disse...

Passei aqui para te deixar um abraço! E te dar um bocadinho de força!

:)